Sobre felicidade, metas e lojas de departamento

3

Dias nublados me deixam feliz  e hoje o dia foi exatamente assim (pelo menos aqui em Jundiaí o tempo tá bem mais ou menos), aproveitei essa vibe e arrumei um pedacinho da minha vida que eu costumo chamar de guarda-roupa e outro pedacinho que é esse blog. Eu me dei conta de quanta coisa inútil eu tenho, nisso estão inclusos roupas e sapatos que eu comprei e usei uma vez só ou nem usei, itens de decoração que estão na embalagem ainda e mais um monte de porcaria que estão dentro de lindas caixas decoradas (as caixas bonitas são um método que eu uso pra esconder a bagunça haha).

Ultimamente meu quarto anda bem organizado e limpinho, então nem tenho me dado conta de todas essas coisas inúteis que andei comprando, mas hoje foi o dia. Na verdade só me dei conta mesmo depois que eu descobri e li esse blog, o FÊliz com a Vida. Quem mantem ele é a Fernanda, que está viajando pelo mundo fazendo uma pesquisa sobre a felicidade. Daí eu pensei, comprar tudo isso me fez feliz mesmo? Talvez no provador, quando eu vesti aquelas peças pela primeira vez. Será que valeu a pena gastar tanta grana com coisas que eu NUNCA usei? Dãã, claro que não né.

Aí eu pensei mais ainda, o que me faz feliz? Não sei bem a resposta ainda, mas com certeza sair comprando a rodo é que não é, pelo menos não vai mais ser. E tem mais, isso me abriu para outras questões, como, será que se eu tivesse traçado algumas metas lá atrás eu não estaria mais contente hoje? Não que eu seja infeliz gente, não é isso (na verdade estou numa boa fase). Mas, eu poderia ter mais coisas uteis e que me fizesse mais feliz.

Eu venho adiando o projeto “faculdade” há uns 3 anos pelos mais variados motivos, fazem dois anos que estou querendo uma câmera profissional, a desculpa pra essa é a falta de grana (facilmente encontrada nos objetos inúteis que tenho). Sem contar tantas outras coisas que deixei de fazer, sempre com as mesmas desculpas.

Ou seja, falta de metas é um grande problema. É a velha história do “qualquer lugar serve pra quem não sabe onde está indo” e o qualquer lugar quase sempre é ruim. Se alguém me perguntar “onde você quer estar daqui cinco anos?” eu não sei responder. E eu sei que muita gente que está lendo isso também não sabe.

Esse domingo é inspirador para traçar alguma coisa pra vida – vulgo, metas- tipo, parar de comprar compulsivamente e se manter longe de liquidações (ao menos que seja igual a de ontem, gente achei um tênis lindo da Coca Cola por R$30,00 e eu tinha que compartilhar isso com o mundo haha), parar de comprar roupas de lojas de departamento porque são mais baratas e estilosas, ela vai acabar sendo estilosa demais e eu ficarei morrendo de vergonha de sair com ela na rua (o que sempre acontece), talvez aquela roupa da loja um pouco mais cara vista melhor e eu não precise comprar outra na semana seguinte (ó, dicona essa, eim).

Minhas metas para os próximos seis meses: parar de comprar roupas sem necessidade, emagrecer dois quilos para caber naquela calça jeans nunca usada, terminar o curso de Illustrator, saber o suficiente para aceitar trabalhos como freelancer e ter a resposta na ponta da língua quando alguém me perguntar o que me faz feliz.

Só pra constar: família, amigos e namorado me deixam, sim, feliz. Estou falando daquela felicidade a mais, a que está nos detalhes ou nas coisas grandiosas, na felicidade corriqueira.

Vocês notaram que o blog tá com uma carinha nova?? Ficou uma lindeza né *-*
Daqui seis meses eu conto de tudo isso deu certo :)

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s