Pequeno desabafo #1

texto

Todo dia a insônia me convence que o céu faz tudo ficar infinito e que a solidão é pretensão de quem fica escondido, fazendo fita. Vermelho, Barão 

Todos meus amigos estão se formando na faculdade and casando and sendo lindos e bem sucedidos profissionalmente (e na vida, por que não). E eu, bem… eu tô aqui escrevendo na internet, começando a faculdade só agora, não tenho um boy para sair aos sábados à noite e não consegui tirar a maldita carteira de habilitação por que sempre travo na hora de fazer a prova pratica.

Mas todo dia quando eu acordo, ou de madrugada quando o sono não vem, eu tendo me convencer de que está tudo bem, tudo bem se eu preferi outras experiências além da faculdade, tudo bem se eu não saio de casa para conhecer pessoas novas, tudo bem se ainda ligo para minha mãe ir me buscar, tudo bem se fico até tarde escrevendo ao invés de estar com alguém, tudo bem se a palavra casamento é algo inexistente no meu vocabulário atual. Tá tudo bem mesmo.

Tudo bem se meu amigos decidiram seguir os padrões da vida e fazer tudo certinho, como manda o figurino. Tudo bem mesmo, pra eles e pra mim. Sabe por quê? Ninguém se importa, nem eles e eu também não deveria.

Acho que eu não seria nem metade da metade da pessoa que eu sou hoje, nem teria conhecido tanta gente, nem ouviria as músicas que vejo hoje, ou gostasse dos filmes que gosto hoje, ou tivesse aprendido a ter o humor que tenho hoje ou o conhecimento (não muito) que tenho hoje, ou me arriscado a fazer as coisas que eu fiz até hoje.

Ou talvez se eu tivesse seguido o protocolo, eu seria linda e bem sucedida, no trabalho dos sonhos, com o cara dos sonhos, na vida dos sonhos. Ou talvez eu fosse a pessoa mais frustrada do sistema solar, vai saber.

É excelente ir contra a corrente e fazer as coisas de forma diferente, mesmo que no meio caminho te bata um certo desespero e frustração por achar que você está atrasado em relação aos outros ou, até mesmo, que não esteja chegando a lugar nenhum. É o preço que se paga por querer fazer diferente.

Não que seja fácil para as outras pessoas, mas acho que o peso é bem maior em cima daqueles que optaram por ter outras prioridades que não seja “entrar na faculdade aos 18, namorar, tem um emprego estável, juntar dinheiro, comprar um apê, casar, ter um lulu da pomerânia e blá blá blá”. Não que isso seja errado, não é, é lindo. Mas, não é a obrigação de todo mundo.

Eu me senti surpreendentemente aliviada de responder “Ah, tô na faculdade tal, cursando tal coisa” quando me perguntam. E isso é errado, é horrível essa pressão, é como se você fosse obrigada a se sentir mal por estar “atrasada” em relação à outras pessoas da sua idade. E, sem contar que, você tem que estudar na cidade em que mora, e sempre tem aquele infeliz que fala “Mas vale mesmo a pena ir tão longe estudar?”. Caralho, vale. Me deixa.

Na verdade nem sei como terminar esse texto, é só um desabafo de uma pessoa que está revoltadinha com outras pessoas que também são revoltadinhas com as pessoas que decidiram tomar rumos diferentes.

E só para ilustrar tudo isso aqui tem uma série chamada continuecurioso sobre pessoas que largaram seus empregos convencionais para fazer o que realmente amam.

Update: comecei a receber os e-mails da faculdade sobre o curso e as boas-vindas dos professores e, caraca, como estou empolgada haha. Apesar de tudo o que eu escrevi aqui, me sinto muitíssimo feliz por estar fazendo o que eu gosto e de ter certeza que este é o momento certo e que fiz a escolha certa :)))

Este texto só foi possível graças a muitas horas ouvindo Barão Vermelho :)

badge_post_01

Anúncios

3 comentários sobre “Pequeno desabafo #1

  1. Pra minha sorte eu descobri muito nova um dos caminhos que eu gostaria de seguir na vida. Digo um dos, porque a gente nunca tem certeza de que está indo pro lugar certo, nem com as pessoas certas! Hoje faço uma coisa que eu amo e me divirto com ela, mas amanhã tudo pode vir a chão.. Esses sentimentos as vezes pegam a gente de surpresa e a pressão que a gente faz sobre nós mesmos é pior do que qualquer opinião atravessada de alguém externo. Te desejo muita sorte na faculdade, e apesar de ser clichê eu preciso falar: serão os melhores anos da sua vida!! Independente de começarem nos 18 ou nos 22 ;)

    Curtir

  2. Se quiser se casr comigo é só falar que eu tô disponível, não tenho um tostão furado nem onde cair morto mas sirvo ainda pra amar alguém, abraços!

    Curtir

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s