Conhecendo o cinema de Hitchcock

AlfredHitchcock

Para quem gosta de cinema uma coisa bem comum é procurar filmes de acordo com quem os dirigiu, por querer mais coisas similares àquele filme que nos agradou. Ultimamente ando vendo e revendo alguns filmes do Hitchcock e por isso decidi falar dele aqui. Mas Marcelo este cara morreu faz tempo, só tem filme velho e ultrapassado, porque você não fala de alguém atual? Bom, pessoas que pensam assim acabam perdendo a grande oportunidade conhecer grandes obras-primas e isso não vale só para o cinema. É claro que são filmes para serem vistos com outros olhos, devemos considerar a época em que foi filmado para avaliar coisas que talvez não pareçam bem-feitas ou soem estranhas, assim como um jogo de super-nintendo por exemplo que tem um gráfico “tosco” se comparado com um jogo atual, mas isso não significa que o jogo antigo não possa ser até melhor que o lançamento.

4907_004330
Disque M para Matar

Alfred Hitchcock era britânico e após se tornar um grande diretor na Inglaterra ele foi para os EUA aonde ganhou fama mundial emplacando diversos sucessos. Ele adorava trabalhar e fazia um filme atrás do outro, tendo deixado um legado de mais de 50 produções (não vi nem metade ainda x.x), sendo sua obra mais famosa Psicose (1960). Conhecido como o mestre do suspense ele sempre fez filmes que deixam o espectador preso na cadeira tentando descobrir o que vem a seguir, torcendo pela solução da situação, a salvação do protagonista ou até mesmo torcendo pelo vilão. Seus filmes também têm muita comédia, o próprio Hitchcock dizia que o público não aguenta duas horas só de suspense e era necessário dar um alivio ao público enquanto a história se desenrola, porém não espere um humor pastelão, mas sim de situação, algo realmente para deixar o clima mais leve.

rearhed
Janela Indiscreta

Apesar de ter feito tantos filmes ele seguia algumas fórmulas, que apesar de reutilizadas nunca pareciam batidas ou previsíveis. A incriminação de um homem inocente e sua busca pelo verdadeiro culpado ou espionagem internacional refletindo as guerras contemporâneas ao seu tempo são bons exemplos disso. Hitchcock foi um diretor ousado e sempre criava novas técnicas e soluções, em 1963 ele filmou Os Pássaros, que é sobre um ataque inesperado das aves contra a humanidade, hoje em dia seria fácil fazer algo assim, mas naquela época diversos efeitos foram utilizados para passar o maior realismo possível, hoje não soa tão real assim, mas ainda sim impressiona. As trilhas sonoras também sempre foram impressionantes e davam o tom de seus filmes, todos conhecem a cena do chuveiro em Psicose e sua música, trabalho da parceria com o gênio Bernard Herrmann.

6a00d8341e223753ef0192abfb10e2970d
Os Pássaros

Seus filmes também eram famosas pelas estrelas no elenco como Cary Grant, Ray Milland e James Stewart entre os protagonistas, já entre as atrizes destacam-se as famosas loiras de Hitchcock como Doris Day e Grace Kelly.

Enfim existem vários motivos para buscar a filmografia do Hitchcock e conhecer as obras-primas deste gênio. Para quem ficou curioso vou deixar uma lista com 7 filmes essenciais dele, já é um ótimo começo.

Rebecca, a Mulher Inesquecível (1940)

A Sombra de uma Dúvida (1943)

Disque M para Matar (1954)

Janela Indiscreta (1954)

Um Corpo que Cai (1958)

Psicose (1960)

Os Pássaros (1963)

Espero que tenham gostado, pretendo falar um pouco mais de cinema aqui então até a próxima.

Anúncios

Precisamos falar sobre cinema nacional

Antes de mais nada, vou deixar claro que não sou perito nem especialista em cinema (estou longe de ser) e tudo o que está escrito aqui é com base nos filmes que vi.

O cinema nacional é maravilho! Então porque tanta gente odeia? Vamos por parte. Primeiro fator: síndrome do vira-lata, aquela velha ideia que as pessoas têm de que nada do que é feito no Brasil presta, com o cinema não seria diferente. O cara pode achar aquele filme do Adam Sandler ótimo e desprezar o Auto da Compadecida só porque é nacional. O cara pode não ter visto nenhum filme brasileiro pelo simples fato de ter sido produzido aqui, ele já vem com aquele pensamento “é ruim, é nacional então é ruim, vou aqui ver Transformer

Acho que esse é um dos piores fatores, porque a síndrome do vira-lata é difícil de curar e se propaga. Você está na fila do cinema e ouve a pessoa do lado falar, “nossa, filme nacional é uma bosta”, aquilo te contagia e você vai preferir ver Cinquenta Tons de Cinza.

Segundo fator: vendo os filmes errados. Não que tenha filme errado, não é isso, mas não dá para medir a grandiosidade do nosso cinema a partir daquela comédia água-com-açúcar que está bombando. Esses filmes são bem pontuais, vão entreter naquele momento mas, nada que possamos dizer “nossa, filmão eim”. Na época que o filme Que Horas Ela Volta? estreou ele saiu em poucas salas de cinema, geralmente nas grandes capitais, e estamos falando de um filme premiado. Minha mãe é uma peça saiu no país todo e com vários horários. Claro que isso depende da distribuidora, da divulgação, mas depende também do interesse do público por esse tipo de filme, ou seja, se o público no geral se interessasse mais, haveria mais filmes nacionais em cartaz.

O fato é que já temos comentários prontos para criticar nosso cinema. Um amigo disse que nossos filmes são ruins, mas ele mesmo viu muito pouco para poder tirar essa conclusão. Outro disse que apenas 0,1% são bons, mas não soube listar quando questionei que ele deve ter visto filme pra caramba para tirar essa conclusão. Na página da Ansine comentaram “se é com a Regina Casé então é ruim”, detalhe que ela estava ótima no papel. Resumindo, falamos muito e vemos pouco. Ninguém tem embasamento para críticas, ninguém está disposto a ver mais filmes, ninguém está de coração aberto para o nosso cinema.

O assunto é extenso, as opiniões são muitas, mas eu só queria deixar essa lista de filmes que eu gosto bastante e que, se você estiver de coração aberto, vai te agradar também.

E eu juro que não tenho nada contra Cinquenta Tons de Cinza, nem Transformers, nem nenhum filme do gênero :)

O Auto da Compadecia
Clássico de 1999, se passa no sertão nordestino e tem como personagens principais João Grilo e Chicó. Os dois são pobres e vivem de golpes e pequenos negócios. Em um dos golpes eles se metem com um temido cangaceiro e até contas ao diabo eles têm que prestar.

Lisbela e o Prisioneiro
Outro filme que tem como plano de fundo o nordeste, trás Lisbela, moça amante do cinema e Leléu, malandro conquistador. Os dois acabam se conhecendo e logo se apaixonam, mas Lisbela está noiva. Além dos problemas que essa paixão causa, um matador está atrás de Leléu.

Bicho de Sete Cabeças
Um Rodrigo Santoro novinho dá vida a Neto, um jovem que tem um difícil relacionamento com seu pai Wilson, a situação chega a um ponto extremo e Wilson manda seu filho ao manicômio. Lá ele convive com situações terríveis de um sistema que consome suas presas lentamente.

Cidade de Deus
Se passa na favela de Cidade de Deus em meados de 1970. Buscapé, jovem pobre que cresceu cercado pela violência, seguiu um caminho diferente do irmão e amigos graças ao seu talento fotográfico. Paralelo a isso o filme trás a história do traficante Zé Pequeno.

Meu Pé de Laranja Lima
Zezé é um garoto de oito anos, muito levado, que mora no interior de minas e vive uma vida bem simples devido seu pai estar desempregado há bastante tempo. Passa horas conversando com um pé de laranja lima que tem no quintal de sua casa. Conhece Portuga, apesar de uns atritos eles acabam se tornando bons amigos. A trama é bem complexa.

O Home do Futuro
Filme de comédia com ficção cientifica, trás Wagner Moura como Zero, um cientista meio maluco e amargo que constrói uma máquina do tempo para voltar o passado e consertar seus erros. O problema é que sempre que ele volta algo no futuro se altera, sempre causando mais estragos no presente.

Deus é Brasileiro
Deus (Antônio Fagundes) decide tirar férias e está a procura de um substituto, decide vir ao Brasil, terra muito religiosa, a procura de um santo. Taoca, borracheiro e pescador, é seu guia junto com Madá, moça cheia de paixão. O filme percorre paisagens de Alagoas, Tocantins e Pernambuco.

Que horas ela volta
Filme premiado, trás Regina Casé ótima no papel de Val, uma pernambucana que vai para São Paulo em busca de melhores condições para sua filha, Jéssica. Anos mais tarde, Jéssica liga avisando que irá para São Paulo prestar vestibular e ficará com a mãe. Os patrões de Val acolhem bem a menina, a principio, mas fica escancarado as diferenças entre patrão e empregada.

Valorizem o cinema nacional :)

Desafio musical: 1 álbum novo por semana

image

Alguns anos atrás eu fiz um desafio cinematográfico que vi pela internet, assistir a um filme por dia durante um ano. Claro que deu um puta trabalho, mas eu adorei experiência e já próximo ao fim eu me pegava pensando se não seria uma boa ideia fazer algo similar em relação a música, porém a ideia ficou na gaveta.

Sempre fui uma daquelas pessoas que tem preguiça de ouvir um álbum inteiro e prefere escutar as músicas que já conhece, mas sempre quis mudar isso e ano passado meu interesse em Norah Jones me fez pegar para ouvir o maravilhoso “Come Away With Me (2002)”, primeiro álbum da carreira dela. Após uma semana de vicio decidi ouvir o segundo álbum “Feels Like Home (2004)” que também ótimo.

Durante esta segunda semana me veio aquela ideia antiga de novo e pensei, porque não ouvir um álbum novo por semana? Pronto ,estava decidido que este era meu novo desafio cultural pessoal e neste mês de março faz um ano desde então.

Hoje com 48 álbuns depois (sei que não foi exatamente um por semana, mas quase kk) não consigo nem mensurar o quão boa foi esta decisão. Conheci tanta música em tão pouco tempo e isto expandiu muito toda a minha experiência em ouvir música. Até as músicas de sempre ficaram mais legais de ouvir, pois as ouço com menos freqüência.

464896_grammofon_plastinka_makro_1680x1050_www.Gde-Fon.com

Antes deste desafio se eu ouvi mais de 20 álbuns com atenção é muito, agora não consigo parar de pesquisar coisas para ouvir. Apesar de ter começado com a Norah Jones a maioria do que eu ouvi foi rock, vários álbuns obrigatórios que eu me sentia um herege por não conhecer sendo fã da banda como o clássico “Blood Sugar Sex Magik (1991)” do Red Hot Chili Peppers. Bandas que descobri e me apaixonei como o The Stone Roses e uma imensidão de novas músicas favoritas. Recomendo à todos este pequeno desafio, basta gastar 30 ou 40 minutos em média do dia se deixando conhecer coisas novas, no meu caso como trabalho longe de casa sempre ouço do caminho. Hoje só penso que eu deveria ter feito isto antes.

10 musicais essenciais

lalalanddestaque

Se você gosta um pouquinho que seja de cinema já deve ter ouvido falar de La La Land, que é o filme do momento, o colecionador de globos de ouro, o novo recordista de indicações ao Oscar e que é um musical.

Este é um gênero que realmente divide opiniões na base do ame ou odeie e La La Land é um ótimo exemplo deste tipo de filme, um filme sobre sonhos que é o que são os musicais, se o espectador não for capaz de sonhar junto e acreditar que toda aquela cantoria é comum e aceitável naquele mundo, então ele nunca gostará de musicais. Musicais tiveram sua época de ouro entre os anos 30 e 50, mas hoje raramente são criados e são poucos que se tornam memoráveis. Para quem é novo nesta área ou sempre teve aquele preconceito com o estilo seguem 10 indicações de filmes essenciais para aprender a gostar dos musicais (e quem sabe sair por aí dançando no metrô).

01 – O Mágico de Oz (1939)

Este clássico absoluto do cinema conta a história da jovem Dorothy (Judy Garland) que após ver sua casinha no Kansas ser levada por um tornado acaba caindo no reino de Oz aonde inicia uma aventura na procura do Mágico de Oz (Frank Morgan), que supostamente é capaz de mandá-la de volta para casa.

Este filme é um marco para o cinema em vários aspectos, no caso da música a clássica “Somewhere Over the Rainbow” saiu dele, não conhece? Tenho certeza que sim, basta dar o play.

02 – Grease – Nos Tempos da Brilhantina (1978)

Este você já ouviu falar certo? É muito provável que seus pais gostem dele. O filme é ambientado nos anos 50, onde Danny (John Travolta) conhece Sandy (Olivia Newton John) durante suas férias e eles se apaixonam. Tudo parecia um amor de verão, afinal ela voltaria para sua casa na Austrália e ele para escola, porém no primeiro dia de aula Danny tem uma grata surpresa ao encontrar seu amor novamente e estudando na mesma escola.

O filme tem uma trama simples, mas bem amarrada, conta com ótimas músicas e boas atuações, um clássico blockbuster que vale a pena conferir.

03 – Cantando na Chuva (1952)

Outro clássico que sei que você já deve ter ouvido falar, talvez já tenha visto a cena da música título até, mas muita gente conhece e não viu. O filme com números musicais de tirar o fôlego fala sobre um momento importante do cinema, a transição do cinema mudo para o falado. Neste cenário temos Gene Kelly no papel de Don Lockwood, um ator famoso do cinema mudo tentando se adaptar as mudanças e Debbie Reynolds como Kethy Selden, uma jovem atriz tentando encontrar seu lugar.

04 – My Fair Lady (1964)

Ganhador do Oscar de melhor filme conta história de Eliza Doolittle (Audrey Hepburn), uma pobre vendedora de flores que encontra Henry Higgins (Rex Harrison), umprofessor de fonética arrogante que se gaba da sua capacidade de reconhecer sotaques. Ao ver Eliza, Henry se impressiona com a falta de modos e vocabulário dela, então faz uma aposta com seu amigo de que irá transform´-la em uma dama da alta sociedade.

Este é o meu favorito, não que seja o melhor, mas é o que mais me cativou. O fato de ter minha atriz favorita como protagonista ajuda é claro, mas o filme é muito bem dirigido, tem ótimas canções e um roteiro que prende apesar de ser longo.

05 – A Noviça Rebelde (1965)

Outro vencedor do Oscar de melhor filme é estrelado por Julie Andrews, o filme se passa na Austria onde a noviça Maria (Julie), que não consegue se adaptar ao convento, é enviada para ser governanta de uma família com 7 crianças e o pai Capitão Von Trapp (Christopher Plummer).

Este clássico obrigatório traz Julie Andrews em sua melhor forma com músicas inesquecíveis, algumas que talvez você até conheça como esta abaixo.

06 – O Fantasma da Ópera (2004)

Este é um remake de uma obra dos anos 40. Conta a história de Erik, o fantasma (Gerrad Buttler) e Cristine Daaé (Emy Russum). Ele é um professor oculto de Cristine, ajudando-a conseguir um papel importante no espetáculo, porém a partir disso muitas coisas ocorrem nesta relação estranha.

Este filme é lindo visualmente, conta com músicas maravilhosas e uma trama cheia de dramas, sofrimentos e paixões. Recomendo muito.

07 – Mary Poppins (1964)

Um filme da Disney com a Julie Andrews no papel-título que lhe rendeu o Oscar de melhor atriz. Na casa de um banqueiro (Glynis Johns) seus dois filhos não dão sossego as babás que se demitem uma após a outra, até que magicamente Mary Poppins desce do céu com sua bolsa e guarda-chuva, dizendo ser a pessoa perfeita para resolver o problema e ela resolve de um jeito bem peculiar e com muita música.

Um filme atemporal e indicado para crianças de qualquer idade, essencial para a vida. Se uma palavra pode definir este filme, esta palavra é supercalifragilisticexpialidocius, assista abaixo e entenderá.

08 – Across the Universe (2007)

Se você curte Beatles vai amar, se não curte vai aprender a curtir. O filme se passa nos anos 60 contando a história de amor entre Jude (Jim Sturgess) e Lucy (Evan Rchael Wood) em meio a todas as transformações e acontecimentos daquela época.

Todas as músicas e nomes dos personagens são baseados na obra dos garotos de Liverpool, nem precisa de mais do que isso pra ver agora, mas segue um aperitivo.

09 – Nasce Uma Estrela (1954)

Este musical com um clima mais sério é estrelado por Judy Garland como Esther Blodgett e James Maison como Norman Maine. Enquanto ele é um astro decadente do cinema, ela é uma aspirante a estrela. Os dois tem um relacionamento que não consegue ser separado de suas vidas profissionais, o que leva a vários acontecimentos.

Um filme que vale a pena assistir, com boas músicas e uma história interessante que te fará lembrar por dias.

10 – Os Miseráveis (2012)

Este aqui eu só recomendo para quem já está acostumado com isso de musical, pois o filme é diferente tudo, ele é totalmente cantando, isso mesmo, todos os diálogos são cantados. Hugh Jackman é Jean Valjean, um ex-criminoso que é perdoado e ajudado por um padre, desde então ele decide dedicar a sua vida a ser um bom homem e digno da confiança que lhe foi dada, porém  Javert (Rusell Crowe), um policial que leva a lei acima de tudo não está disposto a deixar que Jean Valjean fique impune.

Este filme é um clássico moderno, não sei como não levou o Oscar, merece muito ser visto.

Louca por filmes

Mais uma tag, por que estou adorando responder tags, é ótimo quando você quer postar algo e tá sem ideias haha

Essa eu vi no Eu (não) nasci nos anos 80 e se é sobre filmes eu vou responder com certeza. Pode conter leves spoilers.

Qual foi o último filme que você assistiu?
Julieta. Último filme do Almódovar, tá nos cinemas ainda (eu acho). típica novela com uma trama muito boa, te prende e te faz querer saber o final, porém não gostei da trilha sonora que foi mais puxada para o mistério e eu achei que merecia mais um drama.
julietaQual filme você quer muito assistir?
Das estreias quero muito ver Animais Fantásticos e Onde Habitam, adoro esse livro e como é universo Harry Potter fico muito ansiosa para o lançamento. Star Wars Rogue One, não estou criando expectativas muito fortes, mas, é aquela história, se passa no universo Star Wars então veremos com certeza. Agora um filme que não é lançamento e quero ver, O Fantástico Senhor Raposo.

Um filme para chorar?
Meu Pé de Laranja Lima. Conta a história de um menino de família pobre, com muitos irmão, cheio de sonhos e que apanha muito do pai que desconta nele o fato de estar desempregado. O filme se passa no sertão de Minas Gerais e mostra Zezinho como uma criança alegre, porém negligenciada, que encontra em um adulto seu melhor amigo. O filme é baseado em fatos, o que te faz pensar que o que é retratado no filme (que foi baseado em um livro homônimo) aconteceu realmente, apesar dos momentos felizes do filme, o desenrolar da história te deixa triste, momentos bem marcantes te deixam triste, a conclusão da história te deixa triste. É um filme triste, mas muito importante por se tratar de um tema, infelizmente, atemporal.

Um filme para rir?
A Era do Gelo. O primeiro que é mais legal, nem preciso dizer o porquê, todo mundo já conhece e da pra rir toda vez que assiste.

Um suspense?
Psicose. Eita filme que te deixa ligado da primeira a última cena, ele tem um aura meio assombrosa, várias reviravoltas, chega no meio do filme e você pensa “ok, e agora?”, aí os acontecimentos se desencadeiam e você fica ansioso por cada coisa que acontece. Uma obra de arte.
Janet Leigh in Psycho

Um filme para ver com a família?
Creed: Nascido para lutar. Aí depende muito da família, mas acho que esse filme é uma boa escolha, história de superação, não tem muita violência nem cenas impróprias.

Um filme para morrer de medo?
Atividade Paranormal. Não gosto de filmes de terror nem de susto, acho que o único que vi recentemente foi esse.

Um romance?
10 coisas que eu odeio em você. Sei que não é o melhor filme do gênero, mas, ele é tão verdadeiro. Pode até parecer meio clichê,mas, há muitas chances de gostarmos de quem antes odiamos, coisas do coração sabe.

Um filme lindo?
Ela. Esse é um filme que reflete um pouco a nossa realidade e a realidade de um futuro bem próximo, ou seja, mostra o quanto estamos nos distanciando fisicamente e trocando a presença das pessoas pelo uso de celulares e computadores, você anda na rua e ninguém mais olha pra frente, só para tela de algum aparelho. Com uma abordagem bem delicada sobre assuntos como relacionamentos e solidão, mais uma paleta de cores incrível e igualmente delicada, Ela leva o prêmio de filme mais lindo da vida.
Her

Um filme de ação? 
Mad Max: Estrada da Fúria. Puta que pariu, já nos 10 primeiros minutos o filme te deixa numa adrenalina incrível, todas as cenas de ação propriamente dita são ótimas, o visual também, faz jus a todos os Oscars que recebeu. Por que filme de ação é assim, se ele não te arranca uns palavrões não é um filme de ação que vale a pena haha

Um filme que não vale a pena?
Oldboy: dias de vingança. Estamos falando do ramake feiro pelo Spike Lee. A premissa do filme é boa, mas aquelas lutas mal coreografadas, a cara do “vilão”, a forma como as coisas acontecem, o final bizarro. Não que eu não tenha visto filmes com desfechos bizarros, mas acho que nesse caso a direção não foi boa o suficiente para deixar o final bizarro plausível. Outra coisa que o torna desnecessário é o fato de ser um remake, segundo os comentários do Filmow, o original do filme é muito melhor, então vejam o original (que é coreano).

Um filme para o feriado?
Mesmo se nada der certo. Tem o Mark Rufallo, a Keira Knightley e o Adam Lavigne nos papeis principais, além de uma história bem cativante e músicas bem bonitas, você assiste e fica o resto do dia cantando a trilha sonora do filme.

Um desenho animado?
Ratatouille. Eu tenho um amor pela França, aquela coisa de país querido, então pra mim esse filme com certeza é uma coisa linda. A trilha sonora é boa, a história é legal, a paleta de cores, as paisagens. Tudo muito bonito.
ratatouilleUm filme que todo mundo tem que ver?
As pontes de Madson. É sobre descobertas, abrir mão do que é mais importante para você em prol de outras pessoas, é sobre descobertas depois de achar que já não tinha mais nada para ser descoberto, é sobre amor a prima vista, a segunda vista, é sobre amor, sobre como não temos controle da nossa vida mesmo achando que está tudo sob controle.
Menção honrosa os filmes Um conto chinês, As vantagens de ser invisível Um estranho no ninho. 

Um filme que você assistiu três vezes ou mais?
O Fabuloso destino de Amélie Poulain. Se estou feliz vejo esse filme, se estou triste vejo esse filme, não importa sempre vejo esse file haha Menção honrosa para Titanic.

Um filme para meninas?
Menina de Ouro. Primeiro, uma mulher forte como protagonista, não só forte fisicamente, mas no caráter e na força de vontade, só para lembrar que podemos fazer o que quisermos, mesmo que nem sempre seja “coisa de menina”.

banner-beda

Com que filme eu vou?

Adoro essas tags <3

Já vi essa em vários blogs como o A Life Less Ordinary, Salateando e o MobicAchei bem legal e dá pra pegar umas dicas bacaninhas de filmes pra ver depois.

1- Um filme para assistir sozinho: O fabuloso destino de Amélie Poulain
Na verdade eu vejo muitos filmes sozinha, principalmente aqueles que eu sei que irão me fazer refletir sobre algo, ou me fazer chorar absurdamente. Mas, Amelie tem um lugar especial no meu coração, é aquele que eu vejo se tô bem feliz ou se tô bem triste, ou se não quero pensar muito depois de um filme, é aquele filme que não quero dividir com ninguém por que sinto que ele é só meu.

amelie-poulain

2- Um filme para assistir quando está chovendo: Annie Hall (Noivo neurótico, noiva nervosa)
Acho que a atmosfera desse filme combina com chuva e coberta, ele é meio triste, meio feliz, meio sentimentos que não pra descrever, acho que combina com dias chuvosos.

3- Um filme para te fazer dormir: Tomates verdes fritos
Não se engane, esse filme é maravilhoso e é por isso mesmo, é aquele filme que te faz ir pra cama com um sorrisinho bom no rosto.

4- Um filme para assistir bêbado: Apertem os cintos o piloto sumiu
Um dos filmes mais nonsenses que já vi, com certeza ficaria mais ainda vendo ele com uns tragos na cabeça.

5- Um filme para passar enquanto você está fazendo outra coisa: A Família Addams (ou qualquer filme que já foi visto várias vezes)
Já vi A Família Addams tantas vezes que nem sei mais haha e se tiver passando com certeza vou para pra ver de novo, mas aqui pode ser qualquer filme que passe na sessão da tarde ou qualquer canal “family”.

familia-addams

6- Dois filmes para serem assistido em sequência: Batman – O Cavaleiro das Trevas e Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge.
Adoro essa franquia e quando revi  um tempo atrás vi os dois na sequência e foi bem legal.

7- Um filme para assistir com o boy: qualquer um do Tarantino
Não tenho boy, mas se tivesse colocaria qualquer um do Tarantino, principalmente os mais antigos. Mas vamos considerar aqui que provavelmente o boy imaginário goste de Tarantino mas, se não aí vamos sentar e conversar sobre o porque dele não gostar de filmes tão bons haha Mas pra não dizer que eu sou chata, pode ser qualquer filme na linha de Um Conto Chinês, Medianeras, Her e por aí vai.

8- Um filme para assistir com os amigos: Harry Potter para amigas, qualquer um da Marvel para amigos e Curtindo a Vida Adoidado se tiver os dois.
Meus amigos tem gostos cinematográficos bem diferentes entre si, mas quase sempre essa formulinha resolve: super heróis para os meninos, Harry Potter querido para as amigas e um filme neutro que não tem erro quando tá todo mundo.

9- Um filme para assistir com sua mãe: A 100 passos de um sonho
Minha mãe não é muito chegada em filmes e pra gente ver juntas tem que ser um filme sem violência, sem cenas tensas, sem nenhuma história pesada. Ela diz que não vê filmes comigo e com meu pai por causa disso, então um filme levinho e sobre culinária seria ótimo pra gente.

10- Um filme para assistir com seu pai: Blade/ Constantine/ Se beber não case
Mas pode ser qualquer um que tenha monstros, demônios, porrada, tripas, sangue, que seja comédia nonsense. Diferente da minha mãe meu pai adora filmes e qualquer um que tenha esses elementos com certeza veremos juntos.

Eu acrescentaria nessa lista “um filme para assistir com seu irmão”, aí poderia ser qualquer um que a dublagem seja horrível só para eu falar pra ele “nossa que dublagem horrível, como você consegue ver filme dublado?” só para infernizar ele, por que é isso que as irmãs mais novas fazem haha.

Músicas para se ouvir até enjoar

Olá leitores deste blog, eu sou o Marcelo, amigo da criadora e este é o meu primeiro post. Na verdade faz algum tempo que conversamos sobre eu escrever algo por aqui, mas devido a vários motivos ainda não tinha rolado.

song

Na imagem “Eu amo esta canção. Toque até eu odiar música”.

A ideia deste post surgiu de uma conversa que tive com a própria Bea sobre músicas que ouvimos incessantemente por algum tempo. Fiquei pensando em quantas vezes isso já me aconteceu e percebi que não foram poucas então resolvi listar cinco músicas que eu já ouvi várias vezes seguidas até cansar.

1 – Sixpence None The Richer – Kiss Me

Começando por esta música que foi um dos temas da conversa. Na verdade eu não a conhecia até uns dois meses atrás apesar de já ter assistido ao filme “Ela é Demais” do qual ela é trilha sonora, porém seu clip sempre aparecia nas sugestões do You Tube quando eu ouvia minhas músicas dos anos 90, até que um dia uma página postou na line do face e eu resolvi ouvir e pronto, eu não parei de ouvir e cantarolar esta música grudenta, mas bem legal por uns 20 dias.

2 – Oasis – Wonderwall

Quem me conhece sabe o quanto sou fã de Oasis e esta deve ser a primeira música que ouvi incessantemente na vida, cheguei ao nível de repeti-la por quase duas horas no rádio. Hoje não é nem uma das minhas favoritas deles, mas é gostosa de ouvir às vezes.

3 – The Shins – Simple Song

Quem já viu How I Met Your Mother sabe como esta música é marcante na série, eu vi o episódio que ela toca ao vivo e para aguentar a ansiedade para a próxima temporada o jeito foi ouvir esta música trocentas vezes. Acabei procurando informações sobre a banda e é vale a pena ouvir.

4 – Rage Against The Machine – Killing in the Name

Esta música consegue me envolver de uma forma incrível, é difícil não sentir todo o poder dela quando começa a tocar e já passei vários dias seguidos ouvindo este clássico dos anos 90. É uma música que me arrepia ainda hoje e a letra é muito boa.

5 – Keane – Somewhere Only We Know

Lá em 2005 na minha adolescência surgia o Keane com esta música por aqui e nesta época eu não tinha PC, MP3 ou mesmo grana para comprar um CD, mas ficava ligado na MTV, Play TV e Mix TV e parava tudo que eu estivesse fazendo para ver este clip. É aquele tipo de música que pra mim representa uma época da minha vida e até hoje eu escuto com alguma frequência.

Digam quais músicas vocês também ouviram no repeat até não aguentar mais.

Música urbana #1

Será que você vai saber o quanto penso em você, com o meu coração?

Cinema: Na Natureza Selvagem

into-the-wild

Na Natureza Selvagem (Into the Wild) é o filme bibliográfico da jornada percorrida por Chris McCandless rumo ao Alasca.

Chris, recém-formado na faculdade decidiu largar sua vida confortável, doou suas economias e partiu para o mundo com poucos recursos e dinheiro. Em busca de estar em comunhão com a natureza, ele abdica da sua própria identidade, se auto intitulando Alex Supertramp e cai na estrada, passando pela Dakota do Sul, Arizona e Califórnia, faz alguns trabalhos temporários sempre que lhe falta dinheiro, mas, o mais importante, conhece pessoas e as mudam no decorrer da sua jornada.

Talvez a primeira impressão que se tem de um jovem classe média, formado, com uma vida bem estruturada é que não passa de um menino mimado, mas no decorrer do filme, Alex mostra que ele vai além disso, ele busca conhecimento de si próprio na natureza, busca se desapegar dos ensinamentos impostos pela sociedade não se apegando a nada material. Isso fica claro em cada relação que ele constrói pelo caminho, como um casal de hippies que entende bem a necessidade dele de estar na estrada, ou um veterano de guerra que enxerga nele o filho/neto que ele não teve. É incrível a sensibilidade contida em cada cena onde ele conhece uma nova pessoa, você se transporta para o filme e acolhe os ensinamentos (mesmo que não explícitos) de Alex e entende que ele não era só mais um filho rebelde em busca de atenção.

na-natureza-selvagem-frase

Além disso, o filme tem uma linda fotografia e é uma viagem pelas várias paisagens dos Estados Unidos, deixando bem claro a interação de Alex com a natureza.

A trilha sonora ficou a cargo do Eddie Vedder do Pearl Jam e é uma viagem a parte.

Na Natureza Selvagem é aquele filme que te faz querer cair no mundo, que te faz refletir sobre as suas decisões feitas até agora, sobre sua coragem de fazer uma loucura e “cair no mundo” e desbravar sua própria natureza, seja ela qual for.

Direção: Sean Penn | Ano: 2007 | País: Estados Unidos

On tape: Valerio Lysander

valerio-lysander

Valerio Lysander é um músico inglês e suas músicas são composta quase sempre pela sua linda voz e um piano. Achei ele muito por acaso no Tradiio, depois disso foi amor a primeira vista haha

Não achei muitas informações sobre ele por ser um artista em acensão, mas fico aqui torcendo pro cara se dar bem e ficar famosão <3

Sound Cloud | YouTube | Facebook | Site