Tempo, tempo, mano velho

20161220_061353

Faz mais de um mês e meio que não postamos neste blog e peço desculpas a que acompanha e espera sempre alguma coisa nova. A Bea infelizmente anda muito ocupada com os deveres da vida adulta e eu passei por algumas coisas neste período que também tomaram meu tempo ou a inspiração para escrever, mas aqui estou e pra falar um pouco da vida.

Mês passado eu consegui ser mandado embora do trabalho, algo que eu já estava negociando faz tempo devido ao intercâmbio (já falei dele em outro post, procurem na minha tag), fiquei bem feliz de sair pela porta da frente de um lugar que foi muito importante pra mim. Depois disso tive aquela semana de hibernação merecida após três anos de trabalho.

Passei o resto do mês resolvendo assuntos do intercâmbio, voltei para a academia e comecei a ver as coisas que tenho acumuladas aqui começando pela segunda temporada de Twin Peaks. Entre outros rolês fui até pra balada que nem é minha cara foi muito legal, fui também para um show com uma amiga que eu não via há quatro anos. Aliás isso é algo que tem sido comum, estou revendo muita gente nesta véspera da viagem, quero dar um tchau pra todo mundo que eu considero e já estou pensando em como os dias passam rápido e na saudade que vou sentir de algumas pessoas.

Por hora é isto, em breve pretendo escrever de novo sobre alguma coisa que li, joguei ou assisti recentemente, estou decidindo. Até lá fiquem com a música maravilhosa que inspirou o título do post.

A beleza das coisas que dão errado

IMG_3322-1

Ser alguém que gosta de planejar tudo tem um grande problema, pois nem tudo, na verdade a maioria das coisas não saem como a gente espera e ai ou você fica puto ou dá um jeito. Quando fui planejar o rolê deste fim de semana de comemoração de aniversário de uma grande amiga eu queria que tudo saísse perfeito e que ela curtisse, afinal ela até merece kk
As coisas já começaram a dar errado na escolha do lugar onde veríamos um filme e comeríamos, a droga da sala fechou uma semana antes do rolê. Ok tudo bem, vemos o lançamento da semana no nosso cantinho de sempre e acharemos um lugar legal pra comer.

Na ida descobrimos que a linha amarela estava fechada, porém isso fez com que nos encontrássemos antes, lá na luz mesmo.

Ela estava com dores no pé e precisou de uma sapatilha nova, assim acabou achando uma exatamente como procurava faz tempo e ela nem tinha ido com esta intenção.

Ela queria comprar um colar legal e não achou, mas no mesmo shopping tinha aquela hamburgueria legal que ficamos de dar uma passada depois meses atrás.

Queríamos ir à um café no mirante após o filme, mas estava lotado. Ao ter que andar em busca de outra opção pude ver um músico de rua tocando a minha canção favorita.

Pequenas coisas que deram errado e no final foram boas, a vida é muito engraçada mesmo.

5 lugares para comprar camisetas com estampas legais

Eu sempre fui aquela pessoa que adora ter uma camiseta daquela banda, filme, série, etc que eu amo. Ao mesmo tempo eu sou aquela pessoa que detesta aquelas camisetas padrões que vendem muito na galeria do rock, mas que você acha em qualquer lugar. Aquela com o logo do Ramones ou do Red Hot Chili Peppers são bons exemplos, qualquer chinês da galeria estampa aquilo e nem sabe do que se trata e isso me incomoda. Adoro comprar coisas feitas de fã para fã ou que pelo menos você percebe que houve vontade em fazer algo legal, também gosto daquela sensação de que só quem realmente curte o que minha camiseta diz que vai entender e por isso venho indicar algumas das lojas online mais legais para se comprar camisetas e outras coisinhas com temas da cultura pop em geral, então preparem as carteiras.

Reverbcity

reverbcity

Começando com a minha loja favorita de longe (já devo ter comprado mais de 10 modelos deles), as camisetas tem um tecido de qualidade e as estampas são lindas e todas feitas por eles. O foco deles é em bandas de rock, especialmente indies, mas eles tem muitas coisas fora disso, inclusive lançarão uma nova coleção inspirada em filmes em breve e eu estou bem ansioso.

Site: https://www.reverbcity.com/

Bendita Augusta

bendita

Esta loja também tem camisetas de qualidade e conta com alguns quiósques em SP além do site, as estampas variam bastante e são bem feitas e criativas, no momento eu tenho a camiseta do Taxi Driver deles e certamente gostaria de ter outras.

Como o site tá fora do ar no momento fico devendo fotos dos modelos.

Site: http://www.benditaaugusta.com.br/

Camiseteria

logo_camiseteria

Este é bem famoso principalmente porque quem desenha pode enviar sua arte e ganhar dinheiro caso eles lancem camiseta com ela. Como o site tem esta pegada a variedade nos temas das estampas é gigantesca, tem de tudo para agradar qualquer um, uma mais foda que a outra.

Site: http://www.camiseteria.com/

Printerama

topo-tumblr-01

Este possui estampas um pouco mais simples, porém de bom gostoso e bem criativas, mas o diferencial deles é que as estampas tem prazo. Todos mês eles disponibilizam alguns modelos e se não comprar naquele mês já era, ou quase, pois eles mantém uma seção com alguns modelos de sucesso.

Site: https://printerama.com.br/

Tee Now

ehbomsaber_teenowlogo

Neste site eu ainda não comprei infelizmente, mas tenho amigos que já. Eles também recebem artes de desenhistas e deixam as camisetas à venda por apenas 24 horas, a camiseta mais vendida da semana ganha mais dois dias no fim de semana e eles contam com um catálogo fixo. A variedade das estampas é imensa devido a esta forma de trabalho e sempre tem coisa legal por lá, só me falta dinheiro mesmo kk.

Site: http://teenow.com.br/

Além de tudo já citado eu quero destacar o carinho com que as encomendas vem, a maioria delas bem embaladas e a até o embrulho é bem bonito, com mimos como paper toys, balinhas ou folheto de agradecimento pela compra, o tipo de coisa que adoro. Conhecia alguma? Tem indicações também? Comente!

O que torna um momento inesquecível?

17796505_1318702954883985_4559969698132487649_n

 

Domingo passado estive num churrasco de aniversário de um amigo e de todos os amigos dele eu só conhecia um então fui com algum receio de como seria, porém passamos uma tarde toda conversando, ouvindo música, jogando e se divertindo. No fim do dia eu tinha feito vários novos amigos e estava certo de que tinha vivido um momento inesquecível.

Tudo isso me fez pensar que tendo boa memória ou não todos nós temos lembranças inesquecíveis, momentos que não importa quanto tempo fazem sempre vem à tona na nossa cabeça, mas existe uma regra para estas lembranças? Se existe com certeza não é a importância do momento, é muito fácil lembrarmos do primeiro beijo, do primeiro dia de escola ou de quando conhecemos o amor da nossa vida, mas penso na quantidade de lembranças banais que eu tenho.
Minha primeira lembrança inclusive é um momento comum, aos 4 anos num dia bem nublado minha mãe me levava de mãos dadas para o médico, não lembro o que fomos fazer lá, mas a imagem de nós dois andando na rua deserta de manhã ficou grudada na minha cabeça.
Lembro de uma tarde fazendo trabalho em grupo na chacará de uma amiga, de um seminário que aparentemente apresentei bem, de uma pizza que comi com o pessoal da ETEC ou mesmo um café da manhã no meu primeiro trabalho. Todos estes são momentos banais, mas por que são lembrados? Acredito que representem uma época, um período que foi importante e que talvez isto não fosse perceptível na hora, mas depois é revisitado com saudade e nostalgia. Por isso digo que é importante aproveitar cada momento e dar valor a quem te faz bem, a felicidade se vive agora.

Três lugares legais para comer em SP

Habeamus lugares legais, bons e baratos para comer. Todos em São Paulo e facilzinho de chegar.

Mirante Efêmero: restaurante que fica no Mirante 9 de Julho, atrás da MASP. A cada três meses eles renovam o cardápio que é assinado por um chefe. Os pratos são muito bem servidos, com uma apresentação bem bonita. Aquela comida que dá gosto de ver sabe. Fui no sábado no meio do dia e estava relativamente vazio, mas como era carnaval não sei dizer se o lugar enche nesse horário. Além disso você tem a vista linda do Mirante que da para a Av. 9 de julho. O legal do lugar é que ele é aberto, não é um lugar fechado com quatro paredes, não senhor. Da para sentir um brisinha enquanto você come. O preço é bem amigo, um prato sai por cerca de 25,00. Abaixo está o prato que eu pedi, essa foto eu peguei na page deles porque esqueci de tirar no dia, mas juro que é igualzinho haha

Original Red Nose Burger & Hot Dog: sim minha gente, a Red Nose tem uma hamburgueria e ela fica na praça de alimentação do Shopping Light, Centro de São Paulo. Sim meus queridos, na praça de alimentação. O hambúrguer é bem feito, fresquinho, o pão é douradinho em cima, o bacon é crocante e a batata frita, além de ser barata (R$3,00 a porção) ela vem com a maionese da casa, muito boa por sinal. E sabe o que é melhor? Hambúrguer artesanal a preço amigo. Lanche com hambúrguer 120g de bacon + batata + bebida sai por cerca de 27,00. E você aí comendo Mc Donald’s haha. Mais uma vez não tirei foto mas o lanche condiz com esse da foto da page deles.

Burger Joint: tradicional hamburgueria Nova-iorquina, abriu uma franquia na Bela Cintra e uma no Shopping Top Center, nessa unidade a decoração trás vários posteres de cinema e música, paredes onde você pode escrever e um ambiente intimista. Os lanches são bons e o cardápio é bem enxuto, o que é ótimo para pessoas indecisas como eu. Não peça o hambúrguer ao ponto porque não vem muito bom, mas de resto está tudo ok. Os lanches são servidos embrulhados em papel e a batata em saquinhos de papel. O preço também é amigo, lanche com bacon + batata + bebida sai por cerca de 32,00. Na foto de baixo eu já tinha comido o lanche haha

Quando decidi comer menos fest food (já não tinha muito desse habito antes) descobri vários lugares legais, com comida boa e preços bons. Além disso você conhece mais da sua própria cidade, ou no meu caso, da minha segunda cidade haha Dá para ser feliz sem toda aquela gordura e filas do BK e cia.

Caso você, querido leitor, tenha indicações de doceiras em SP tô super aceitando :)

6 on 6 | Te esperando na janela

Mais um 6 no 6, furei o mês passado, o tema era mulher e fiquei triste por não ter conseguido participar. Mas, aqui estamos esse mês e o tema é portas e janelas. Não sei vocês, mas eu adoro janelas, adoro portas, adoro casinhas que parecem de campo, é uma gracinha não é.


Essa foto é a porta da sala da casa dos meus avós. Eu adoro essa casa, me trás tantas lembranças boas da infância, de quando a gente brincava o dia inteiro sem se preocupar com nada.


Essas duas são de dois prédios da faculdade, o primeiro fica perto da biblioteca e o segundo não sei o que é haha nunca entrei nesse bloco. Os prédios são antigos e é comum o pessoal usar para tirar fotos, até um longa nacional já foi gravado por lá.


Essas são as muitas janelinhas dos prédios que ficam na Av. 9 de julho da vista do mirante.



E essas duas são de uma rua bem colorida, o El Carminito em Buenos Aires, que fica no bairro La Boca, onde também se encontra do estágio do Boca Juniors. Que saudade desse lugar <3

Também participam Retratos e Diários, Catarina Voltou a Escrever, Sariando por aí, O Outro Lado, Frascos de Memória

A vida de colecionador

collection

Ter centenas de livros, a discografia da sua banda favorita ou todos os videogames que você gosta são sonhos de consumo para uns e algo irrelevante para outros. O prazer em colecionar é algo realmente difícil de explicar para quem não coleciona, sempre vem a pergunta “para que comprar se eu posso ter isso de graça?” ou a afirmação de que o dinheiro deve ser gasto com coisas mais importantes, mas ter um hobby e consumir cultura é importante, porém não é um pensamento tão comum em nosso país.

Eu sou colecionador desde criança. Tive o prazer de crescer nos anos 90 e colecionar bolinhas de gude, tazos, cartinhas, cartões telefônicos, etc. Sempre fui a criança chata que preferia trocar figurinhas do que batê-las kkk, queria ter a coleção completa bonitinha e na ordem, tanto que ainda hoje guardo várias destas coleções e acabei trazendo este costume para a vida adulta.

Em 2007 comecei minha coleção de mangás e hoje tenho cerca de novecentas edições, comecei por causa da minha paixão por Os Cavaleiros do Zodíaco e a partir daí conheci muita coisa, especialmente na época que eu frequentava os eventos de anime. Hoje são poucos títulos que me interessam do que saí nas bancas, mas sempre confiro os lançamentos.

Minha outra grande coleção é de filmes, tenho uns duzentos filmes e a maioria deles em blu-ray. Comecei a coleção em 2012 por causa dos filmes da Disney, depois comecei a comprar os da Pixar e Studio Ghibli também, além dos filmes que não são de animação. Além destas coleções vez ou outra compro um livro ou CD (sim CD kkk), mas não tenho muitos não.

Por que colecionar?

Eu acredito que seja um ótimo hobby desde que feito de forma saudável, sem comprometer sua renda. Sobre gastar dinheiro à toa eu me pergunto se todos gastam todo seu dinheiro  nas coisas ditas como importantes e afirmo que todo dinheiro gasto com algo que você gosta é bem gasto.

O ponto mais importante em colecionar é valorizar o trabalho de quem fez, adquirindo um produto original você contribui para que aquele trabalho que te agradou se torne lucrativo. Fora isso também existe a qualidade que na maioria das vezes será a melhor possível e o prazer em ter aquele item em mãos, os mimos de uma edição especial, o cheiro de livro novo, folhear o encarte de um CD, etc. Colecionar é namorar aquela edição por meses e comprar assim que possível, ter todos os sites de compras nos favoritos, achar que ganhou na loteria quando encontra algo raro por um preço bom e pesquisar como se não houvesse amanhã, pequenos prazeres que só os admiradores de prateleiras conhecem kk.

Colecionar é muito bom e creio que farei isso para sempre. Alguém aqui coleciona também? Se sim, comente o que você coleciona.

Não tem mais ninguém aí? 


Não amigo, só tem eu mesmo. Só tem eu para te atender e resolver seu problema, igual meus colegas fariam. Com a mesma qualidade, o mesmo conhecimento, a mesma educação.

Você pode não gostar, você pode achar que eu não seria tão competente quanto eles, você pode até achar que eu não trabalho nesse setor mesmo eu te atendendo outras vezes, você pode fazer essa mesma pergunta outras mil vezes, mesmo assim só vai ter eu mesmo.

Você pode até se perguntar o que essa menina tá fazendo aí? Você pode se perguntar porque contrataram ela, ou se perguntar o que eu ainda estou fazendo nesse emprego, mesmo assim, só vai ter eu para te atender.

Quando eu te falar que nenhum dos meus colegas estão, você não precisa me perguntar se não tem mais ninguém para te atender, eu já entendi que não é comigo que você quer falar.

Mesmo só tendo eu para atender, você pode fazer um grande esforço e fingir que tudo bem ser atendido por mim, que é uma situação normal e você pode até tentar acreditar que eu vou resolver seu problema com eficiência. Mas isso é só para gente evitar uma situação constrangedora mesmo.

Só tem eu para te atender e eu só queria que você soubesse que eu adoraria passar um dia ser presenciar essa desconfiança toda. Eu não queria ser conhecida como uma mulher numa profissão de homem, eu queria ser uma profissional, apenas.

Precisamos falar sobre cinema nacional

Antes de mais nada, vou deixar claro que não sou perito nem especialista em cinema (estou longe de ser) e tudo o que está escrito aqui é com base nos filmes que vi.

O cinema nacional é maravilho! Então porque tanta gente odeia? Vamos por parte. Primeiro fator: síndrome do vira-lata, aquela velha ideia que as pessoas têm de que nada do que é feito no Brasil presta, com o cinema não seria diferente. O cara pode achar aquele filme do Adam Sandler ótimo e desprezar o Auto da Compadecida só porque é nacional. O cara pode não ter visto nenhum filme brasileiro pelo simples fato de ter sido produzido aqui, ele já vem com aquele pensamento “é ruim, é nacional então é ruim, vou aqui ver Transformer

Acho que esse é um dos piores fatores, porque a síndrome do vira-lata é difícil de curar e se propaga. Você está na fila do cinema e ouve a pessoa do lado falar, “nossa, filme nacional é uma bosta”, aquilo te contagia e você vai preferir ver Cinquenta Tons de Cinza.

Segundo fator: vendo os filmes errados. Não que tenha filme errado, não é isso, mas não dá para medir a grandiosidade do nosso cinema a partir daquela comédia água-com-açúcar que está bombando. Esses filmes são bem pontuais, vão entreter naquele momento mas, nada que possamos dizer “nossa, filmão eim”. Na época que o filme Que Horas Ela Volta? estreou ele saiu em poucas salas de cinema, geralmente nas grandes capitais, e estamos falando de um filme premiado. Minha mãe é uma peça saiu no país todo e com vários horários. Claro que isso depende da distribuidora, da divulgação, mas depende também do interesse do público por esse tipo de filme, ou seja, se o público no geral se interessasse mais, haveria mais filmes nacionais em cartaz.

O fato é que já temos comentários prontos para criticar nosso cinema. Um amigo disse que nossos filmes são ruins, mas ele mesmo viu muito pouco para poder tirar essa conclusão. Outro disse que apenas 0,1% são bons, mas não soube listar quando questionei que ele deve ter visto filme pra caramba para tirar essa conclusão. Na página da Ansine comentaram “se é com a Regina Casé então é ruim”, detalhe que ela estava ótima no papel. Resumindo, falamos muito e vemos pouco. Ninguém tem embasamento para críticas, ninguém está disposto a ver mais filmes, ninguém está de coração aberto para o nosso cinema.

O assunto é extenso, as opiniões são muitas, mas eu só queria deixar essa lista de filmes que eu gosto bastante e que, se você estiver de coração aberto, vai te agradar também.

E eu juro que não tenho nada contra Cinquenta Tons de Cinza, nem Transformers, nem nenhum filme do gênero :)

O Auto da Compadecia
Clássico de 1999, se passa no sertão nordestino e tem como personagens principais João Grilo e Chicó. Os dois são pobres e vivem de golpes e pequenos negócios. Em um dos golpes eles se metem com um temido cangaceiro e até contas ao diabo eles têm que prestar.

Lisbela e o Prisioneiro
Outro filme que tem como plano de fundo o nordeste, trás Lisbela, moça amante do cinema e Leléu, malandro conquistador. Os dois acabam se conhecendo e logo se apaixonam, mas Lisbela está noiva. Além dos problemas que essa paixão causa, um matador está atrás de Leléu.

Bicho de Sete Cabeças
Um Rodrigo Santoro novinho dá vida a Neto, um jovem que tem um difícil relacionamento com seu pai Wilson, a situação chega a um ponto extremo e Wilson manda seu filho ao manicômio. Lá ele convive com situações terríveis de um sistema que consome suas presas lentamente.

Cidade de Deus
Se passa na favela de Cidade de Deus em meados de 1970. Buscapé, jovem pobre que cresceu cercado pela violência, seguiu um caminho diferente do irmão e amigos graças ao seu talento fotográfico. Paralelo a isso o filme trás a história do traficante Zé Pequeno.

Meu Pé de Laranja Lima
Zezé é um garoto de oito anos, muito levado, que mora no interior de minas e vive uma vida bem simples devido seu pai estar desempregado há bastante tempo. Passa horas conversando com um pé de laranja lima que tem no quintal de sua casa. Conhece Portuga, apesar de uns atritos eles acabam se tornando bons amigos. A trama é bem complexa.

O Home do Futuro
Filme de comédia com ficção cientifica, trás Wagner Moura como Zero, um cientista meio maluco e amargo que constrói uma máquina do tempo para voltar o passado e consertar seus erros. O problema é que sempre que ele volta algo no futuro se altera, sempre causando mais estragos no presente.

Deus é Brasileiro
Deus (Antônio Fagundes) decide tirar férias e está a procura de um substituto, decide vir ao Brasil, terra muito religiosa, a procura de um santo. Taoca, borracheiro e pescador, é seu guia junto com Madá, moça cheia de paixão. O filme percorre paisagens de Alagoas, Tocantins e Pernambuco.

Que horas ela volta
Filme premiado, trás Regina Casé ótima no papel de Val, uma pernambucana que vai para São Paulo em busca de melhores condições para sua filha, Jéssica. Anos mais tarde, Jéssica liga avisando que irá para São Paulo prestar vestibular e ficará com a mãe. Os patrões de Val acolhem bem a menina, a principio, mas fica escancarado as diferenças entre patrão e empregada.

Valorizem o cinema nacional :)

Mad girl

Só queria dizer que já é abril, que abril começa com “a” e que vai ter BEDA sim, porque é isso que fazemos, nos dedicamos a projetos que não iremos terminar, mas né, qual seria a graça da vida se não fosse assim.

Não tenho pautas prontas, nem ideias para posts, nem nada planejado, nem tempo para escrever, nem juízo, só vamos mesmo rs

Aproveitando, descobri essa música por acaso, é da Ana Vilela e nessa versão ela canta com o Luan Santana. Apenas prestem atenção nessa letra

Começamos com o pé direto :)