Precisamos falar sobre cinema nacional

Antes de mais nada, vou deixar claro que não sou perito nem especialista em cinema (estou longe de ser) e tudo o que está escrito aqui é com base nos filmes que vi.

O cinema nacional é maravilho! Então porque tanta gente odeia? Vamos por parte. Primeiro fator: síndrome do vira-lata, aquela velha ideia que as pessoas têm de que nada do que é feito no Brasil presta, com o cinema não seria diferente. O cara pode achar aquele filme do Adam Sandler ótimo e desprezar o Auto da Compadecida só porque é nacional. O cara pode não ter visto nenhum filme brasileiro pelo simples fato de ter sido produzido aqui, ele já vem com aquele pensamento “é ruim, é nacional então é ruim, vou aqui ver Transformer

Acho que esse é um dos piores fatores, porque a síndrome do vira-lata é difícil de curar e se propaga. Você está na fila do cinema e ouve a pessoa do lado falar, “nossa, filme nacional é uma bosta”, aquilo te contagia e você vai preferir ver Cinquenta Tons de Cinza.

Segundo fator: vendo os filmes errados. Não que tenha filme errado, não é isso, mas não dá para medir a grandiosidade do nosso cinema a partir daquela comédia água-com-açúcar que está bombando. Esses filmes são bem pontuais, vão entreter naquele momento mas, nada que possamos dizer “nossa, filmão eim”. Na época que o filme Que Horas Ela Volta? estreou ele saiu em poucas salas de cinema, geralmente nas grandes capitais, e estamos falando de um filme premiado. Minha mãe é uma peça saiu no país todo e com vários horários. Claro que isso depende da distribuidora, da divulgação, mas depende também do interesse do público por esse tipo de filme, ou seja, se o público no geral se interessasse mais, haveria mais filmes nacionais em cartaz.

O fato é que já temos comentários prontos para criticar nosso cinema. Um amigo disse que nossos filmes são ruins, mas ele mesmo viu muito pouco para poder tirar essa conclusão. Outro disse que apenas 0,1% são bons, mas não soube listar quando questionei que ele deve ter visto filme pra caramba para tirar essa conclusão. Na página da Ansine comentaram “se é com a Regina Casé então é ruim”, detalhe que ela estava ótima no papel. Resumindo, falamos muito e vemos pouco. Ninguém tem embasamento para críticas, ninguém está disposto a ver mais filmes, ninguém está de coração aberto para o nosso cinema.

O assunto é extenso, as opiniões são muitas, mas eu só queria deixar essa lista de filmes que eu gosto bastante e que, se você estiver de coração aberto, vai te agradar também.

E eu juro que não tenho nada contra Cinquenta Tons de Cinza, nem Transformers, nem nenhum filme do gênero :)

O Auto da Compadecia
Clássico de 1999, se passa no sertão nordestino e tem como personagens principais João Grilo e Chicó. Os dois são pobres e vivem de golpes e pequenos negócios. Em um dos golpes eles se metem com um temido cangaceiro e até contas ao diabo eles têm que prestar.

Lisbela e o Prisioneiro
Outro filme que tem como plano de fundo o nordeste, trás Lisbela, moça amante do cinema e Leléu, malandro conquistador. Os dois acabam se conhecendo e logo se apaixonam, mas Lisbela está noiva. Além dos problemas que essa paixão causa, um matador está atrás de Leléu.

Bicho de Sete Cabeças
Um Rodrigo Santoro novinho dá vida a Neto, um jovem que tem um difícil relacionamento com seu pai Wilson, a situação chega a um ponto extremo e Wilson manda seu filho ao manicômio. Lá ele convive com situações terríveis de um sistema que consome suas presas lentamente.

Cidade de Deus
Se passa na favela de Cidade de Deus em meados de 1970. Buscapé, jovem pobre que cresceu cercado pela violência, seguiu um caminho diferente do irmão e amigos graças ao seu talento fotográfico. Paralelo a isso o filme trás a história do traficante Zé Pequeno.

Meu Pé de Laranja Lima
Zezé é um garoto de oito anos, muito levado, que mora no interior de minas e vive uma vida bem simples devido seu pai estar desempregado há bastante tempo. Passa horas conversando com um pé de laranja lima que tem no quintal de sua casa. Conhece Portuga, apesar de uns atritos eles acabam se tornando bons amigos. A trama é bem complexa.

O Home do Futuro
Filme de comédia com ficção cientifica, trás Wagner Moura como Zero, um cientista meio maluco e amargo que constrói uma máquina do tempo para voltar o passado e consertar seus erros. O problema é que sempre que ele volta algo no futuro se altera, sempre causando mais estragos no presente.

Deus é Brasileiro
Deus (Antônio Fagundes) decide tirar férias e está a procura de um substituto, decide vir ao Brasil, terra muito religiosa, a procura de um santo. Taoca, borracheiro e pescador, é seu guia junto com Madá, moça cheia de paixão. O filme percorre paisagens de Alagoas, Tocantins e Pernambuco.

Que horas ela volta
Filme premiado, trás Regina Casé ótima no papel de Val, uma pernambucana que vai para São Paulo em busca de melhores condições para sua filha, Jéssica. Anos mais tarde, Jéssica liga avisando que irá para São Paulo prestar vestibular e ficará com a mãe. Os patrões de Val acolhem bem a menina, a principio, mas fica escancarado as diferenças entre patrão e empregada.

Valorizem o cinema nacional :)

Anúncios

Louca por filmes

Mais uma tag, por que estou adorando responder tags, é ótimo quando você quer postar algo e tá sem ideias haha

Essa eu vi no Eu (não) nasci nos anos 80 e se é sobre filmes eu vou responder com certeza. Pode conter leves spoilers.

Qual foi o último filme que você assistiu?
Julieta. Último filme do Almódovar, tá nos cinemas ainda (eu acho). típica novela com uma trama muito boa, te prende e te faz querer saber o final, porém não gostei da trilha sonora que foi mais puxada para o mistério e eu achei que merecia mais um drama.
julietaQual filme você quer muito assistir?
Das estreias quero muito ver Animais Fantásticos e Onde Habitam, adoro esse livro e como é universo Harry Potter fico muito ansiosa para o lançamento. Star Wars Rogue One, não estou criando expectativas muito fortes, mas, é aquela história, se passa no universo Star Wars então veremos com certeza. Agora um filme que não é lançamento e quero ver, O Fantástico Senhor Raposo.

Um filme para chorar?
Meu Pé de Laranja Lima. Conta a história de um menino de família pobre, com muitos irmão, cheio de sonhos e que apanha muito do pai que desconta nele o fato de estar desempregado. O filme se passa no sertão de Minas Gerais e mostra Zezinho como uma criança alegre, porém negligenciada, que encontra em um adulto seu melhor amigo. O filme é baseado em fatos, o que te faz pensar que o que é retratado no filme (que foi baseado em um livro homônimo) aconteceu realmente, apesar dos momentos felizes do filme, o desenrolar da história te deixa triste, momentos bem marcantes te deixam triste, a conclusão da história te deixa triste. É um filme triste, mas muito importante por se tratar de um tema, infelizmente, atemporal.

Um filme para rir?
A Era do Gelo. O primeiro que é mais legal, nem preciso dizer o porquê, todo mundo já conhece e da pra rir toda vez que assiste.

Um suspense?
Psicose. Eita filme que te deixa ligado da primeira a última cena, ele tem um aura meio assombrosa, várias reviravoltas, chega no meio do filme e você pensa “ok, e agora?”, aí os acontecimentos se desencadeiam e você fica ansioso por cada coisa que acontece. Uma obra de arte.
Janet Leigh in Psycho

Um filme para ver com a família?
Creed: Nascido para lutar. Aí depende muito da família, mas acho que esse filme é uma boa escolha, história de superação, não tem muita violência nem cenas impróprias.

Um filme para morrer de medo?
Atividade Paranormal. Não gosto de filmes de terror nem de susto, acho que o único que vi recentemente foi esse.

Um romance?
10 coisas que eu odeio em você. Sei que não é o melhor filme do gênero, mas, ele é tão verdadeiro. Pode até parecer meio clichê,mas, há muitas chances de gostarmos de quem antes odiamos, coisas do coração sabe.

Um filme lindo?
Ela. Esse é um filme que reflete um pouco a nossa realidade e a realidade de um futuro bem próximo, ou seja, mostra o quanto estamos nos distanciando fisicamente e trocando a presença das pessoas pelo uso de celulares e computadores, você anda na rua e ninguém mais olha pra frente, só para tela de algum aparelho. Com uma abordagem bem delicada sobre assuntos como relacionamentos e solidão, mais uma paleta de cores incrível e igualmente delicada, Ela leva o prêmio de filme mais lindo da vida.
Her

Um filme de ação? 
Mad Max: Estrada da Fúria. Puta que pariu, já nos 10 primeiros minutos o filme te deixa numa adrenalina incrível, todas as cenas de ação propriamente dita são ótimas, o visual também, faz jus a todos os Oscars que recebeu. Por que filme de ação é assim, se ele não te arranca uns palavrões não é um filme de ação que vale a pena haha

Um filme que não vale a pena?
Oldboy: dias de vingança. Estamos falando do ramake feiro pelo Spike Lee. A premissa do filme é boa, mas aquelas lutas mal coreografadas, a cara do “vilão”, a forma como as coisas acontecem, o final bizarro. Não que eu não tenha visto filmes com desfechos bizarros, mas acho que nesse caso a direção não foi boa o suficiente para deixar o final bizarro plausível. Outra coisa que o torna desnecessário é o fato de ser um remake, segundo os comentários do Filmow, o original do filme é muito melhor, então vejam o original (que é coreano).

Um filme para o feriado?
Mesmo se nada der certo. Tem o Mark Rufallo, a Keira Knightley e o Adam Lavigne nos papeis principais, além de uma história bem cativante e músicas bem bonitas, você assiste e fica o resto do dia cantando a trilha sonora do filme.

Um desenho animado?
Ratatouille. Eu tenho um amor pela França, aquela coisa de país querido, então pra mim esse filme com certeza é uma coisa linda. A trilha sonora é boa, a história é legal, a paleta de cores, as paisagens. Tudo muito bonito.
ratatouilleUm filme que todo mundo tem que ver?
As pontes de Madson. É sobre descobertas, abrir mão do que é mais importante para você em prol de outras pessoas, é sobre descobertas depois de achar que já não tinha mais nada para ser descoberto, é sobre amor a prima vista, a segunda vista, é sobre amor, sobre como não temos controle da nossa vida mesmo achando que está tudo sob controle.
Menção honrosa os filmes Um conto chinês, As vantagens de ser invisível Um estranho no ninho. 

Um filme que você assistiu três vezes ou mais?
O Fabuloso destino de Amélie Poulain. Se estou feliz vejo esse filme, se estou triste vejo esse filme, não importa sempre vejo esse file haha Menção honrosa para Titanic.

Um filme para meninas?
Menina de Ouro. Primeiro, uma mulher forte como protagonista, não só forte fisicamente, mas no caráter e na força de vontade, só para lembrar que podemos fazer o que quisermos, mesmo que nem sempre seja “coisa de menina”.

banner-beda

Com que filme eu vou?

Adoro essas tags <3

Já vi essa em vários blogs como o A Life Less Ordinary, Salateando e o MobicAchei bem legal e dá pra pegar umas dicas bacaninhas de filmes pra ver depois.

1- Um filme para assistir sozinho: O fabuloso destino de Amélie Poulain
Na verdade eu vejo muitos filmes sozinha, principalmente aqueles que eu sei que irão me fazer refletir sobre algo, ou me fazer chorar absurdamente. Mas, Amelie tem um lugar especial no meu coração, é aquele que eu vejo se tô bem feliz ou se tô bem triste, ou se não quero pensar muito depois de um filme, é aquele filme que não quero dividir com ninguém por que sinto que ele é só meu.

amelie-poulain

2- Um filme para assistir quando está chovendo: Annie Hall (Noivo neurótico, noiva nervosa)
Acho que a atmosfera desse filme combina com chuva e coberta, ele é meio triste, meio feliz, meio sentimentos que não pra descrever, acho que combina com dias chuvosos.

3- Um filme para te fazer dormir: Tomates verdes fritos
Não se engane, esse filme é maravilhoso e é por isso mesmo, é aquele filme que te faz ir pra cama com um sorrisinho bom no rosto.

4- Um filme para assistir bêbado: Apertem os cintos o piloto sumiu
Um dos filmes mais nonsenses que já vi, com certeza ficaria mais ainda vendo ele com uns tragos na cabeça.

5- Um filme para passar enquanto você está fazendo outra coisa: A Família Addams (ou qualquer filme que já foi visto várias vezes)
Já vi A Família Addams tantas vezes que nem sei mais haha e se tiver passando com certeza vou para pra ver de novo, mas aqui pode ser qualquer filme que passe na sessão da tarde ou qualquer canal “family”.

familia-addams

6- Dois filmes para serem assistido em sequência: Batman – O Cavaleiro das Trevas e Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge.
Adoro essa franquia e quando revi  um tempo atrás vi os dois na sequência e foi bem legal.

7- Um filme para assistir com o boy: qualquer um do Tarantino
Não tenho boy, mas se tivesse colocaria qualquer um do Tarantino, principalmente os mais antigos. Mas vamos considerar aqui que provavelmente o boy imaginário goste de Tarantino mas, se não aí vamos sentar e conversar sobre o porque dele não gostar de filmes tão bons haha Mas pra não dizer que eu sou chata, pode ser qualquer filme na linha de Um Conto Chinês, Medianeras, Her e por aí vai.

8- Um filme para assistir com os amigos: Harry Potter para amigas, qualquer um da Marvel para amigos e Curtindo a Vida Adoidado se tiver os dois.
Meus amigos tem gostos cinematográficos bem diferentes entre si, mas quase sempre essa formulinha resolve: super heróis para os meninos, Harry Potter querido para as amigas e um filme neutro que não tem erro quando tá todo mundo.

9- Um filme para assistir com sua mãe: A 100 passos de um sonho
Minha mãe não é muito chegada em filmes e pra gente ver juntas tem que ser um filme sem violência, sem cenas tensas, sem nenhuma história pesada. Ela diz que não vê filmes comigo e com meu pai por causa disso, então um filme levinho e sobre culinária seria ótimo pra gente.

10- Um filme para assistir com seu pai: Blade/ Constantine/ Se beber não case
Mas pode ser qualquer um que tenha monstros, demônios, porrada, tripas, sangue, que seja comédia nonsense. Diferente da minha mãe meu pai adora filmes e qualquer um que tenha esses elementos com certeza veremos juntos.

Eu acrescentaria nessa lista “um filme para assistir com seu irmão”, aí poderia ser qualquer um que a dublagem seja horrível só para eu falar pra ele “nossa que dublagem horrível, como você consegue ver filme dublado?” só para infernizar ele, por que é isso que as irmãs mais novas fazem haha.

Cinema: Na Natureza Selvagem

into-the-wild

Na Natureza Selvagem (Into the Wild) é o filme bibliográfico da jornada percorrida por Chris McCandless rumo ao Alasca.

Chris, recém-formado na faculdade decidiu largar sua vida confortável, doou suas economias e partiu para o mundo com poucos recursos e dinheiro. Em busca de estar em comunhão com a natureza, ele abdica da sua própria identidade, se auto intitulando Alex Supertramp e cai na estrada, passando pela Dakota do Sul, Arizona e Califórnia, faz alguns trabalhos temporários sempre que lhe falta dinheiro, mas, o mais importante, conhece pessoas e as mudam no decorrer da sua jornada.

Talvez a primeira impressão que se tem de um jovem classe média, formado, com uma vida bem estruturada é que não passa de um menino mimado, mas no decorrer do filme, Alex mostra que ele vai além disso, ele busca conhecimento de si próprio na natureza, busca se desapegar dos ensinamentos impostos pela sociedade não se apegando a nada material. Isso fica claro em cada relação que ele constrói pelo caminho, como um casal de hippies que entende bem a necessidade dele de estar na estrada, ou um veterano de guerra que enxerga nele o filho/neto que ele não teve. É incrível a sensibilidade contida em cada cena onde ele conhece uma nova pessoa, você se transporta para o filme e acolhe os ensinamentos (mesmo que não explícitos) de Alex e entende que ele não era só mais um filho rebelde em busca de atenção.

na-natureza-selvagem-frase

Além disso, o filme tem uma linda fotografia e é uma viagem pelas várias paisagens dos Estados Unidos, deixando bem claro a interação de Alex com a natureza.

A trilha sonora ficou a cargo do Eddie Vedder do Pearl Jam e é uma viagem a parte.

Na Natureza Selvagem é aquele filme que te faz querer cair no mundo, que te faz refletir sobre as suas decisões feitas até agora, sobre sua coragem de fazer uma loucura e “cair no mundo” e desbravar sua própria natureza, seja ela qual for.

Direção: Sean Penn | Ano: 2007 | País: Estados Unidos

Filmes para não ver

~CONTÉM SPOILERS REAIS E VERDADEIROS~

Recentemente tive péssimas experiências com alguns filmes que vi, achei que seriam legais, mas eram filmes com a história estranha ou personagens ruins ou eu criei uma mega expectativa em cima e no final foi decepcionante.

Quando digo spoiles, tô querendo dizer que vou contar o final do filme. Todos avisados haha

american

Psicopata Americano: Patrick Bateman (Christian Bale) jovem, bonito e sem nada que o diferencie de seus colegas de Wall Street. Protegido pela conformidade, privilégio e riqueza, também é um serial killer, que vaga livremente e sem receios em busca de uma nova vítima. Seus impulsos assassinos são abastecidos por um zeloso materialismo e uma inveja torturante quando ele encontra alguém que possui mais do que ele. Após um colega dar-lhe um cartão de visitas melhor que o seu em tinta e papel, a sede de sangue de Bateman surge e ele aumenta ainda mais suas atividades homicidas, tornando-se um perigoso e violento psicopata. (Fonte)

Porque é ruim: Normalmente nos filmes que trata do tema “psicopatas” você durante o filme cria uma empatia com o personagem, ele pode ser uma criatura terrível mas, você gosta dele de alguma forma, tenta até defendê-lo. E é isso mesmo, psicopatas tendem a criar esse sentimento. Em Psicopata Americano isso não ocorre, Patrick é apenas um cara mimado e babaca que mata todas as pessoas que ele julga serem melhor que ele ou porque ele quer, apenas. Você não simpatiza em momento algum com cara, ele não é um personagem foda, é apenas muito superficial.

Porque não ver: metade do filme é ele transando com prostitutas, gravando sua performance ~bizarra~ e as matando depois, a outra metade é ele sentindo inveja dos amiguinhos.

Não vale a pena mesmo? Se for ver, que seja pelo rostinho bonito do Christian Bale e só.

oldboy

Oldboy (2013): Joe Ducett (Josh Brolin) é um homem arrogante e irresponsável, que enfrenta problemas no trabalho e com a família. Um dia, ele acorda em um quarto, e descobre que foi trancado lá dentro. Pelos próximos 20 anos, Joe permanece em cativeiro, sem saber quem o sequestrou, ou as razões deste ato. Enquanto isso, ele descobre pela televisão que sua ex-esposa foi assassinada, e que ele é o principal suspeito. Um dia, Joe é liberado. Com a ajuda de uma assistente social (Elizabeth Olsen), ele terá apenas três dias para descobrir quem o prendeu, porque foi preso e, acima de tudo, porque foi solto. (Fonte)

Porque é ruim: não é de todo ruim, se você gosta de suspense tá aí um filme que você só vai saber o porquê de tudo nos últimos minutos da trama. Porém suas cenas de lutas são fracas, mal coreografadas e exageradas. Além de ser meio previsível, no momento que Joe encontra Marie você sabe que eles vão se apaixonar.

Porque não ver: lá pro final da trama, você descobre que o cara que prendeu o Joe era um ex-amigo de escola querendo se vingar. Por quê? Simplesmente porque o Joe viu a irmã do rapaz sendo abusada pelo pai, aí o pai louco mata toda a família. Aí você descobre que o rapaz também era abusado, mas achava isso normal e chamava de amor. Para se vingar de Joe o que ele fez? Trancou o cara 20 anos, o soltou, fez ele se apaixonar por uma menina bem mais nova, cria um clima e faz eles transarem pra depois falar para o Joe que a menina (Marie) por quem ele está apaixonado é na verdade a filha dele. Sim, isso mesmo, a própria filha.

Não vale a pena mesmo? Não, mas a atuação da Elizabeth Olsen como Marie é boa.

Lembrando que essa é minha humilde opinião sobre os filmes :)

Favoritos do ano

Hora de eleger os favoritos do ano de entretenimento, na minha humilde opinião e se baseando no que eu vi, muita coisa não foi lançada esse ano, muitos artistas provavelmente o resto do mundo já conhecia menos eu, mas tá valendo mesmo assim.

SÉRIES

series

Daredevil: série que estreou em abril tem o lindo do Charlie Cox no papel do advogado Matt Murdock (vulgo Demolidor), os looks lindos da Karen Page (Deborah Ann Woll), lutas incríveis e aquela formula nada convencional onde o mocinho também se ferra.

Hannibal: teve seu último episódio esse ano, o que é muito triste porque a série era muito boa. Ela conta a história do Hannibal antes do filme O Silêncio dos Inocentes. Os episódios são bem sangrentos: tem muita carne e órgãos a mostra, muito sangue e cenas bizarras, muitas cenas que faz você pensar se o personagem está ficando louco ou não. Mas, pelo menos, tem o Hannibal preparando lindos pratos, com o pequeno detalhe de serem todos com carne humana. Além disso, o ator Mads Mikkelsen está impecável como Hannibal, idem o ator Hugh Dancy na pela de Will Graham. A série foi cancelada este ano, ainda sim, indico fortemente se você não tiver problemas com carne e sangue e essas coisas.

Game of Thrones: essa todo mundo conhece e que temporada foi essa minha gente? Muitas lágrimas derramadas (por que a gente se apaga ao personagem mesmo e não aprende nunca), muita raiva de vários personagens e muitos outros que nem apareceram. Espero que a próxima temporada, que está prevista para abril de 2016, responda algumas perguntas minha.

FILMES (ESTRÉIA NO CINEMA)

filmes_cinema

Jurassic World: aquele filme nostalgia que faz várias referências ao primeiro Jurassic Park, agradou as criancinhas que viram pela primeira vez ao aos adultos que puderam reviver sua infância.

Mad Max – Estrada da Fúria: o que falar de um filme que nos 10 primeiros minutos que já te deixar numa adrenalina incrível? Não assisti aos outros filmes da série, mas gostei muito desse. Além dos efeitos práticos e todos aqueles carros que são reais mesmo, nada de efeito, o roteiro simples agradou bastante e passou muito bem a mensagem.

Divertida Mente: só a Pixar mesmo pra fazer uma animação dessa. Eles personificaram os sentimentos: alegria, tristeza, raiva, noginho agora tem corpinhos e controla a mente de uma garota de 11 anos. O filme não é só mais uma animação para criança, mas, também, um filme que trata de assuntos mais complicados como depressão e mudanças de forma lúdica.

Star Wars – O despertar da força: o filme mais aguardado de 2015 cumpriu muito bem seu papel. Refez a saga do herói, agora com uma mulher como protagonista, trouxe elementos do episódio IV agradando os fãs mais antigos, além da história também cativar o pessoal que começou a acompanhar Star Wars agora. Fechou o ano muito bem.

FILMES RECENTES 

filmes_recente

Sniper Americano: dirigido por Clint Eastwood, esse filme – baseado em um livro – conta a história real do atirador de elite mais letal dos EUA. O ator Bradley Cooper da vida ao soldado e consegue passar todo o sentimento e a angustia que o personagem sente. Merece palmas.

O Grande Hotel Budapeste: dirigido por Wes Anderson é um filme lindo. Tem uma ótima fotografia, cenas coreografadas, roteiro muito bom. É aquele filme de encher os olhos.

Rush – No Limite da Emoção:  conta a história da rivalidade entre os pilotos Niki Lauda (Daniel Brühl) e James Hunt (Chris Hemsworth) na Temporada de Fórmula 1 de 1976 e se você gosta de Formula 1 é um bom filme para ver como funcionava o esporte naquela época que, segundo o próprio Lauda, era muito mais emocionante.

Song of the sea: essa é uma animação, acho que a mais fofinha que já vi na vida e conta a história de uma menininha que não consegue falar, ela tem um irmãozinho mais velho e os dois acabam descobrindo que ela é uma selkie, de acordo com uma lenda irlandesa e escocesa, e agora eles precisam ajudar a resgatar algumas criaturas mágicas que estão em perigo. O filme parece que foi todo feito com aquarela.

FILMES ANTIGOS

filmes_antigos

Pulp Fiction: obra prima do Tarantino, tem as melhores cenas de carro, os melhores diálogos, um ótimo roteiro. Só me pergunto por que não vi esse filme antes.

Taxi Driver: outro filme que demorei para ver mas valeu a pena, Dirigido por Martin Scorsese e estrelado por Robert De Niro, filme é um dos mais notórios do cinema dos EUA. Além disso, tem uma cena clássica (a do espelho) que fica melhor quando você descobre que foi tudo improviso.

A Felicidade não se Compra: um filme sublime. É de 1946, em preto e branco, com a direção de Frank Capra, e mostra a dificuldade de ponderar quais caminhos tomar em prol da nossa própria felicidade e quais os caminhos que fazemos em prol dos outros. Além disso, o filme trata muito do “e se”, o que mudaria no mundo, o que se afetaria caso nossos passos tenham sido diferentes?

O Clube dos Cindo: um filme meio sessão da tarde, mas que prova que a década de 80 foi ótima para o cinema. Cinco alunos estão em detenção na mesma sala e estão perdendo o final de semana por conta disso. Como estão presos no mesmo lugar eles acabam conversando e trocando algumas experiências. Parece meio superficial, mas quando cinco adolescentes desconhecidos se encontram e se conhece, eles acabam compartilhando seus medos, experiências, relação com a família. E quase um suspiro de alivio esse filme, além de ser bem divertido.

Teve muuuitos mais filmes além desses, mas não dá mesmo para citar todos. Você pode ser a resenha de alguns aqui, aqui, aqui e aqui.

Cineminha: Medianeras, Buenos Aires na era do amor virtual

MEDIANERAS_POST

Acho que essa foi a resenha que mais demorei para escrever, tive que ver o filme duas vezes para ter certeza do que escrever sobre ele. Não por ser um filme complexo, mas por trazer a tona sentimentos tão palpáveis, comum a quase todas as pessoas. É difícil passar todas essas coisas para um texto e convencer que o filme realmente vale a pena, em todos os sentidos, seja pelas ótimas frases e monólogos, seja pela fotografia ou por trazer a tona sentimentos dessa era moderna em que vivemos.

Medianeiras são aquelas partes dos prédios que não há janelas e o filme começa explicando exatamente isso e sobre a arquitetura de Buenos Aires, cidade onde se passa a trama, com todos os seus prédios e apartamentos pequenos, fios cobrindo o céu e um crescimento desordenado.

medianeras

Em meio a isso somos apresentados a Martin, web designer e fóbico em tratamento, tem problemas para dormir e só anda a pé. Já Mariana é uma arquiteta que trabalha como vitrinista, tem medo de elevadores, se diverte procurando o Wally e acabou de sair de um relacionamento longo. Os dois são diferentes, porém iguais na solidão. São vizinhos mas não se conhecem. Estão em busca de um par ideal, mas sempre acabam se frustrando.

Parece que o filme narra a vida de alguém conhecido ou até a nossa mesmo. É exatamente por isso que o filme brilha, por essa simplicidade de roteiro e por tratar de forma até que leve um assunto pesado, ou seja, não transforma em drama o assunto solidão. Você ri em algumas partes, se apaga aos personagens, se identifica com a história e fica feliz com o final. Formula perfeita.

Medianeiras é aquele filme que te abraça, te arranca sorrisos e te passa uma energia boa no final.

Diretor/roteirista: Gustavo Taretto | Ano: 2011 | País: Argentina

Últimos filmes favoritos #2

Estamos de volta com a seleção dos últimos filmes que vi e que estão num lugarzinho especial do meu coração <3

Pode conter spoilers :)

Reservoir_posterCães de Aluguel: filme de 1992, escrito e dirigido por Quentin Tarantino. Seis homens são contratados para assaltar um banco e roubar diamantes, porém eles não sabem nada um sobre o outro e usam cores como codinome. Algo deu errado no assalto já que vários policiais chegaram à cena do crime e um dos homens foi baleado. Mr. White leva Mr. Orange para o armazém onde todos se encontrariam e lá ele procura ajuda para seu colega. A partir daí ocorre várias acusações entre os bandidos, pois Mr. Pink está certo de que há um traidor no grupo, até por que, como os policiais sabiam a hora e o local que eles estariam praticando um roubo?
Não recomendado para estômagos mais fracos, pois há muito sangue e uma notória cena de tortura, umas das melhores que já vi. Veja o trailer.

jogo da imitacaoO Jogo da Imitação: lançado em 2014, é a cinebiografia de Alan Tuning, pioneiro da computação que trabalhou no projeto britânico Ultra, a fim de quebrar códigos que os nazistas enviavam aos seus submarinos através da máquina Enigma. No filme, Alan Tuning (Benedict Cumberbatch) foi contratado pela Inteligência Britânica para resolver os códigos enviados pela máquina Enigma aos submarinos nazistas, porém esse código se altera a cada 18 horas, e Alan e sua equipe tem grandes dificuldades de quebra-los. Por esse motivo, ele cria uma máquina que, em tese, solucionaria os códigos de uma forma mais rápida e fácil, porém grande parte das pessoas envolvidas no projeto não acreditam que isso realmente vá acontecer. O apoio vem por parte de Joan Clarke (Keira Knightley), única mulher da equipe e que enfrentas problemas por conta disso.
Esse é aquele tipo de filme que te dá vontade de procurar e saber mais sobre seus personagens, já que foi baseado em fatos reais. Veja o trailer.

cidades de papelCidades de Papel:
recém lançado e baseado no livro de John Green, o filme é uma boa adaptação do livro. Temos como personagem principal Quentin (Nat Wolff) e o amor platônico que ele sente por Margo (Cara Delevingne) desde que os dois eram crianças. Certa noite Margo parece na janela de Quentin pedindo seu carro e sua ajuda. Ela foi traída pelo namorado e planeja uma vingança contra ele e mais algumas pessoas e precisa de Q. para ajuda-la. No dia seguinte, Margo simplesmente some sem dizer para onde ia. Passado alguns dias, Q se preocupa com a amiga e começa a seguir pistas deixadas por ela, o que é normal ela fazer toda vez que some. Com a ajuda de seus amigo e uma amiga de Margo, Q percorre um bom caminho, literalmente, para encontra-la.
O filme é uma adaptação e tem muitas coisas diferentes do livro, porém a essência permanece, o que é bom. Adoro as histórias do John Green, ele é ótimo para criar histórias sobre adolescentes e, diferente do que dizem, acho que o filme deve sim ser visto. Veja de coração aberto. Veja o trailer.

divertidamenteDivertida Mente: recém lançado, um filme da Pixar, é uma das melhores animações que vi. O filme gira em torno da mente de Riley, uma garota de 11 anos, que é comandada por sentimentos como Alegria, Tristeza, Nojinho, Raiva e Medo, cada um com uma cor. Os roteiristas do filme conseguem tornar palpáveis os sentimentos, criando personalidade para cada um deles. A “Sala de Comando” dos sentimentos de Riley é comanda pela Alegria que sempre tem ideias para deixa-la feliz, mesmo quando a garota precisa mudar de cidade, deixando para trás seus amigos e antiga casa. Porém algumas coisas saem erradas e a Alegria e Tristeza acabam saindo da “Sala de Comando” e parando no labirinto da mente da Riley. Agora quem controla as emoções são Nojinho, Medo e Raiva, sentimentos que não são muito ok para controlar a mente de uma adolescente. Agora Alegria e Tristeza precisam encontrar o caminho de volta antes que todos os sentimentos e lembranças boas que Riley tinha sejam destruídos ou esquecidos. Além disso, o filme mostra algumas coisas curiosas, por exemplo, uma ideia de como nossos sonhos são feitos, como que, do nada, lembramos de certas músicas que grudam na nossa cabeça, como que nos esquecemos de algumas coisas que antes eram importantes. Enfim, a animação é mais que “um filme para crianças”, é uma trama bem feita que trata de assuntos como tristeza, alegria, euforia e até depressão de uma forma bem leve, porém bem verdadeira. Veja o trailer.

Comida de cinema #2

Quem acompanha o blog sabe que uns dos principais temas aqui são comida e cinema, então, mais uma vez vai ter post de Comidas de Cinema, com aquelas receitas que a gente vê na tela e fica se perguntando, como faz?

A série foi criado pela Isadora do Gastronomismo para o canal no Youtube do Testemande Brasil. O primeiro post no blog sobre o tema você pode ver aqui.

Ovos na cestinha – V de Vingança 

Pãozinho chinês – Kung Fu Panda

Omelete – A 100 passos de um sonho

Big Hakuna Burger – Pulp Fiction

Salmão – A Vida é bela

Risotto roxo – A culpa é das estrelas 

 

Comida de Cinema

Antes de mais nada, este post nasceu por que eu estava com muita fome e quando eu estou com fome eu vejo fotos e videos de comida, sabe-se lá o por que haha.

Foi numa dessas andanças pelo Youtube que eu cai no canal do Testemade Brasil. E sabe o que eu encontrei lá?? Receitas dos pratos que aparecem nos filmes, por exemplo a “sopa azul” preparada no filme O Diário de Bridget Jones. Quando eu vi as receitas eu pensei, omg, eu preciso compartilhar isso com o mundo haha. Então separei os pratos dos meus filmes favoritos (que são muitos). Pra ver mais é só acessar o canal.

Lembas do Senhor dos Anéis 

 

Sopa Azul da Bridget Jones

 

Crème Brûlée da Amélie Poulain 

 

Manjar Turco das Crônicas de Nárnia

 

Cerveja Amanteigada do Harry Potter

 

Bolo de Chocolate da Matilda

 

Ratatouille do Ratatouille