O que torna um momento inesquecível?

17796505_1318702954883985_4559969698132487649_n

 

Domingo passado estive num churrasco de aniversário de um amigo e de todos os amigos dele eu só conhecia um então fui com algum receio de como seria, porém passamos uma tarde toda conversando, ouvindo música, jogando e se divertindo. No fim do dia eu tinha feito vários novos amigos e estava certo de que tinha vivido um momento inesquecível.

Tudo isso me fez pensar que tendo boa memória ou não todos nós temos lembranças inesquecíveis, momentos que não importa quanto tempo fazem sempre vem à tona na nossa cabeça, mas existe uma regra para estas lembranças? Se existe com certeza não é a importância do momento, é muito fácil lembrarmos do primeiro beijo, do primeiro dia de escola ou de quando conhecemos o amor da nossa vida, mas penso na quantidade de lembranças banais que eu tenho.
Minha primeira lembrança inclusive é um momento comum, aos 4 anos num dia bem nublado minha mãe me levava de mãos dadas para o médico, não lembro o que fomos fazer lá, mas a imagem de nós dois andando na rua deserta de manhã ficou grudada na minha cabeça.
Lembro de uma tarde fazendo trabalho em grupo na chacará de uma amiga, de um seminário que aparentemente apresentei bem, de uma pizza que comi com o pessoal da ETEC ou mesmo um café da manhã no meu primeiro trabalho. Todos estes são momentos banais, mas por que são lembrados? Acredito que representem uma época, um período que foi importante e que talvez isto não fosse perceptível na hora, mas depois é revisitado com saudade e nostalgia. Por isso digo que é importante aproveitar cada momento e dar valor a quem te faz bem, a felicidade se vive agora.

Sobre o que fazer com nosso tempo livre

Neste fim de semana virei a noite num bar karaokê com uns amigos na sexta, sábado fui à casa de outro amigo beber uma cerveja e jogar um vídeo-game, algo que estávamos adiando fazia uns meses e no domingo passeei no Ibirapuera com uma amiga. Cansativo? Bastante, principalmente depois de uma semana toda de trabalho durante o dia e academia à noite, mas tudo isso me fez pensar sobre administração do tempo, quando devemos curtir ou descansar, dormir ou passar a noite em claro e como isso influência nossa vida.

tempo

Eu fui um adolescente bem inseguro e fechado, não bebia nada, evitava festas e pessoas que eu não conhecia. Talvez eu fosse mais responsável, não sei, mas não vivi o quanto poderia ter vivido naquela época. Estes acontecimentos e minhas mudanças através dos anos me fizeram criar uma nova visão sobre a vida que é a que tento seguir de aproveitar ao máximo os momentos e as pessoas que eu tenho ao meu redor. Recentemente me disseram que marcaram um rolê comigo sem eu saber simplesmente porque eu sou um cara sempre está disposto e sabiam que eu iria, o Marcelo de 10 anos atrás não acreditaria nisso se eu pudesse falar com ele.

Depois que você vira adulto tudo é bem diferente, sua disposição diminui muito devido a todas as responsabilidades e muitas vezes tudo que você mais quer da vida é dormir ou passar um dia inteiro em casa fazendo literalmente porra nenhuma. Eu não acho isso ruim, na verdade adoro ter um dia só meu para organizar minhas coisas e meus pensamentos, descansar e me curtir, mas estes dias são perigosos.

Família, trabalho e estudo já são coisas que naturalmente nos fazem sair menos, ver menos os amigos e ter menos disposição, mas se naqueles breves momentos que você pode fazer algo diferente você sempre escolher descansar então você não vai viver, vai sobreviver e isso não é algo bom. Penso no meu futuro, não quero daqui a 20 anos ver que perdi contato com pessoas realmente importantes só por que eu tinha preguiça de dispor um pouco do meu tempo a elas, não quero ver que não tenho tantas boas lembranças quanto gostaria, pois isso eu já sinto sobre minha adolescência.

Viver não é só pagar contas e  descansar, não é isso que faz diferença, mas sim os momentos com quem você gosta, que você aproveitou e se lembrará para sempre. Hoje tenho 27 anos, não sou um inconsequente que só curte e não sou alguém que só quer ficar fazendo nada no fim de semana só porque estou cansado, gosto de ter um pouco das duas coisas, pois sinto que estou aproveitando a minha vida. Acredito que planejamento é tudo, especialmente do seu tempo, então tento sempre arrumar tempo para o que é realmente importante pra mim.

Como eu planejei meu intercâmbio mesmo ganhando pouco

dream

O intercâmbio sempre foi um sonho meu, mas algo muito distante e eu nunca pensei seriamente nisso, afinal é um sonho caro, assim como uma casa ou carro por exemplo. Eu sei, não é fácil ter tanta grana ainda mais na crise, mas quero compartilhar a minha experiência neste desafio que tenho enfrentado  e quem sabe ajudá-los a se planejar financeiramente para transformarem seus sonhos em objetivos também.

 

1º Passo: Analisar e aprender a economizar

Cropped image of woman's hands calculating home finances at desk

No começo de 2015 decidi que eu precisava começar a guardar algum dinheiro, mesmo que sem propósito, pois vi que eu nunca estava preparado para imprevistos apesar de saber lidar com o dinheiro e nunca ficar no vermelho. É importante frisar que minha renda não supera 2 salários mínimos hoje e era menor na época que comecei, outros dados que fazem a diferença é que moro com meus pais, mas ajudo nas contas e que sou solteiro e não tenho filhos.

O primeiro passo antes mesmo de começar a juntar foi analisar como eu gastava meu dinheiro, eu literalmente fiz um bloco de notas e uma planilha mensal de cada gasto meu para saber para onde ia meu dinheiro. Se você pensa que a maioria dos gastos era com coisas importantes você está enganado. Sim, todos temos contas para pagar, no meu caso isso não pesa tanto porque não pago tudo, mas ainda sim é incrível ver como aquele salgado à mais, aquele sorvetinho após o cinema ou o livro em promoção pesavam no bolso no fim do mês. Comecei a me regrar, estabeleci um limite para gastos com comida no trabalho e passei a levar marmita quase sempre, outro limite foi para os gastos com itens colecionáveis, no meu caso livros, filmes e mangás. Depois disso comecei a trabalhar minha fatura do cartão, passei a comprar mais coisas a vista e obviamente o cartão também ganhou um limite. Outra coisa muito importante é que não compro comida no crédito, sigo o mantra de “se eu consumo agora, pago agora”.

Outra medida importante foi tentar economizar nos rôles. Eu fiz o possível para não deixar de sair, pois vejo isso como a minha recompensa pelo esforço, mas tentei sempre salvar uma graninha evitando comer sempre no shopping, pagando meia no cinema com meu cartão Itaú e por aí vai.

 

2º Passo: Como juntar dinheiro?

Accounts. Golden coins in soil with young plant isolated. Money

Estas medidas já fizeram uma puta diferença e ao ver que eu conseguia me controlar melhor decidi começar a realmente guardar um valor mensal, de início eram 100 reais mais o que sobrasse do salário anterior no dia do próximo pagamento, decidi que eu tinha que viver o mês com o dinheiro daquele mês.

Dois meses depois disso decidi que faria o intercâmbio. De início não pesquisei nada sobre a grana necessária e recomendo o mesmo a todos, pois isso pode ser desmotivador, afinal você está muito longe ainda. Também criei uma nova regra com esta decisão, toda a grana extra que entrasse iria para a poupança como PIS, 13º, PRL, etc. Com isso consegui juntar grana mais rápido. Existem fundos que rendem mais que a poupança para investimentos a longo a prazo, eu não fui atrás, mas recomendo.

3º Passo: Planejamento e realização

travel

A prática destes métodos e uma mudança de cargo ajudaram no sonho, pude ir guardando um pouquinho mais por mês e no fim do ano passado eu tinha uma grana legal e decidi que tinha chegado a hora de ver quanto eu realmente precisava. Após um mês fazendo análises vi que o custo para um intercâmbio na Irlanda de 6 meses não estava tão longe assim e eu poderia ir em 2017, em janeiro comprei o curso e já o deixei praticamente pago, comecei a vender algumas coisas para ajudar no que falta como meu Nintendo Wii (o que surpreendeu muita gente) e hoje estou com tudo planejado para que eu esteja toda a grana necessária em mãos até a viagem em agosto.

Espero que as dicas ajudem, claro que vocês podem e devem ajustá-las para a realidade de vocês, mas não deixem seus sonhos só na cabeça, pois a sensação de conseguir realizá-los é maravilhosa =D

10 musicais essenciais

lalalanddestaque

Se você gosta um pouquinho que seja de cinema já deve ter ouvido falar de La La Land, que é o filme do momento, o colecionador de globos de ouro, o novo recordista de indicações ao Oscar e que é um musical.

Este é um gênero que realmente divide opiniões na base do ame ou odeie e La La Land é um ótimo exemplo deste tipo de filme, um filme sobre sonhos que é o que são os musicais, se o espectador não for capaz de sonhar junto e acreditar que toda aquela cantoria é comum e aceitável naquele mundo, então ele nunca gostará de musicais. Musicais tiveram sua época de ouro entre os anos 30 e 50, mas hoje raramente são criados e são poucos que se tornam memoráveis. Para quem é novo nesta área ou sempre teve aquele preconceito com o estilo seguem 10 indicações de filmes essenciais para aprender a gostar dos musicais (e quem sabe sair por aí dançando no metrô).

01 – O Mágico de Oz (1939)

Este clássico absoluto do cinema conta a história da jovem Dorothy (Judy Garland) que após ver sua casinha no Kansas ser levada por um tornado acaba caindo no reino de Oz aonde inicia uma aventura na procura do Mágico de Oz (Frank Morgan), que supostamente é capaz de mandá-la de volta para casa.

Este filme é um marco para o cinema em vários aspectos, no caso da música a clássica “Somewhere Over the Rainbow” saiu dele, não conhece? Tenho certeza que sim, basta dar o play.

02 – Grease – Nos Tempos da Brilhantina (1978)

Este você já ouviu falar certo? É muito provável que seus pais gostem dele. O filme é ambientado nos anos 50, onde Danny (John Travolta) conhece Sandy (Olivia Newton John) durante suas férias e eles se apaixonam. Tudo parecia um amor de verão, afinal ela voltaria para sua casa na Austrália e ele para escola, porém no primeiro dia de aula Danny tem uma grata surpresa ao encontrar seu amor novamente e estudando na mesma escola.

O filme tem uma trama simples, mas bem amarrada, conta com ótimas músicas e boas atuações, um clássico blockbuster que vale a pena conferir.

03 – Cantando na Chuva (1952)

Outro clássico que sei que você já deve ter ouvido falar, talvez já tenha visto a cena da música título até, mas muita gente conhece e não viu. O filme com números musicais de tirar o fôlego fala sobre um momento importante do cinema, a transição do cinema mudo para o falado. Neste cenário temos Gene Kelly no papel de Don Lockwood, um ator famoso do cinema mudo tentando se adaptar as mudanças e Debbie Reynolds como Kethy Selden, uma jovem atriz tentando encontrar seu lugar.

04 – My Fair Lady (1964)

Ganhador do Oscar de melhor filme conta história de Eliza Doolittle (Audrey Hepburn), uma pobre vendedora de flores que encontra Henry Higgins (Rex Harrison), umprofessor de fonética arrogante que se gaba da sua capacidade de reconhecer sotaques. Ao ver Eliza, Henry se impressiona com a falta de modos e vocabulário dela, então faz uma aposta com seu amigo de que irá transform´-la em uma dama da alta sociedade.

Este é o meu favorito, não que seja o melhor, mas é o que mais me cativou. O fato de ter minha atriz favorita como protagonista ajuda é claro, mas o filme é muito bem dirigido, tem ótimas canções e um roteiro que prende apesar de ser longo.

05 – A Noviça Rebelde (1965)

Outro vencedor do Oscar de melhor filme é estrelado por Julie Andrews, o filme se passa na Austria onde a noviça Maria (Julie), que não consegue se adaptar ao convento, é enviada para ser governanta de uma família com 7 crianças e o pai Capitão Von Trapp (Christopher Plummer).

Este clássico obrigatório traz Julie Andrews em sua melhor forma com músicas inesquecíveis, algumas que talvez você até conheça como esta abaixo.

06 – O Fantasma da Ópera (2004)

Este é um remake de uma obra dos anos 40. Conta a história de Erik, o fantasma (Gerrad Buttler) e Cristine Daaé (Emy Russum). Ele é um professor oculto de Cristine, ajudando-a conseguir um papel importante no espetáculo, porém a partir disso muitas coisas ocorrem nesta relação estranha.

Este filme é lindo visualmente, conta com músicas maravilhosas e uma trama cheia de dramas, sofrimentos e paixões. Recomendo muito.

07 – Mary Poppins (1964)

Um filme da Disney com a Julie Andrews no papel-título que lhe rendeu o Oscar de melhor atriz. Na casa de um banqueiro (Glynis Johns) seus dois filhos não dão sossego as babás que se demitem uma após a outra, até que magicamente Mary Poppins desce do céu com sua bolsa e guarda-chuva, dizendo ser a pessoa perfeita para resolver o problema e ela resolve de um jeito bem peculiar e com muita música.

Um filme atemporal e indicado para crianças de qualquer idade, essencial para a vida. Se uma palavra pode definir este filme, esta palavra é supercalifragilisticexpialidocius, assista abaixo e entenderá.

08 – Across the Universe (2007)

Se você curte Beatles vai amar, se não curte vai aprender a curtir. O filme se passa nos anos 60 contando a história de amor entre Jude (Jim Sturgess) e Lucy (Evan Rchael Wood) em meio a todas as transformações e acontecimentos daquela época.

Todas as músicas e nomes dos personagens são baseados na obra dos garotos de Liverpool, nem precisa de mais do que isso pra ver agora, mas segue um aperitivo.

09 – Nasce Uma Estrela (1954)

Este musical com um clima mais sério é estrelado por Judy Garland como Esther Blodgett e James Maison como Norman Maine. Enquanto ele é um astro decadente do cinema, ela é uma aspirante a estrela. Os dois tem um relacionamento que não consegue ser separado de suas vidas profissionais, o que leva a vários acontecimentos.

Um filme que vale a pena assistir, com boas músicas e uma história interessante que te fará lembrar por dias.

10 – Os Miseráveis (2012)

Este aqui eu só recomendo para quem já está acostumado com isso de musical, pois o filme é diferente tudo, ele é totalmente cantando, isso mesmo, todos os diálogos são cantados. Hugh Jackman é Jean Valjean, um ex-criminoso que é perdoado e ajudado por um padre, desde então ele decide dedicar a sua vida a ser um bom homem e digno da confiança que lhe foi dada, porém  Javert (Rusell Crowe), um policial que leva a lei acima de tudo não está disposto a deixar que Jean Valjean fique impune.

Este filme é um clássico moderno, não sei como não levou o Oscar, merece muito ser visto.

Faça mais por você, a lista

Inicialmente o post Faça mais por você em 2017 era para ser apenas uma lista de links com coisas que ajudariam a começar o ano bem, mas o que era para ser algo simples virou textão e todos os links que eu separei continuam aqui paradinhos.

Como o sentimento de ter um ano bom continua, então vamos compartilhar essa infinidade de coisas que você pode fazer para começar com o pé direito.

031

Crie metas

13 metas para 2017 que não tem nada a ver com perder peso

18 dicas para economizar um dinheiro em 2017

Saia da sua zona de conforto

15 receitas que você deveria aprender a fazer em 2017

12 jantinhas que você consegue fazer em 15 minutos

Faça mais pela sua saúde mental

12 ideias simples para melhorar sua rotina em 2017

19 coisas que você pode fazer pela sua saúde mental em 2017

Faça algo útil com seu tempo livre

6 hobbies criativos para praticas em 2017

Faça mais por você

13 coisas que você deveria fazer pela sua beleza em 2017

21 coisas que podem te deixar mais feliz em 2017

10 coisas legais que podem melhorar sua vida em janeiro

21 pequenas mudanças para fazer 2017 ser ainda melhor

Se aventure

12 utensílios de cozinha que podem mudar sua vida em 2017

O que esperar de 2017, segundo os cientistas

9 coisas novas que você pode fazer com pouca grana nos nove feriados de 2017

Bom ano pra gente

Faça mais por você em 2017

Às vezes a gente se sente meio perdido e não sabe por onde começar, não sabe que promessas fazer para esse ano, nem que metas propor ou até se vai ter disposição para fazer alguma coisa. Como escolher entre comprar um carro ou poupar para a viagem dos sonhos se a gente não consegue guardar o troco do lanche da faculdade? É difícil fazer planos quando você é ansioso e sofre por antecedência, você quer abraçar o mundo, mas não entende que certas coisas na vida levam algum tempo, talvez mais tempo do que você está disposto a esperar. É difícil traçar metas reais quando você não sabe, ou não descobriu aonde você quer chegar, o que você realmente quer e o seu potencial para chegar lá.

paciencia

Não é de um ano para o outro que tudo vai mudar, que a ansiedade irá sumir, que será mais fácil traçar rotas. Pode ser que nada mude, mas pode ser que seja um bom ponto inicial para tentar algo novo. Tudo bem não viajar esse ano, o país dos sonhos não irá fugir. Tudo bem esperar mais um pouco, poupar mais um pouco para ter um carro descente e não um carrinho sem vergonha, e tudo bem também se você preferir andar mais uns meses de ônibus, tudo bem você não aceitar as pessoas falando “melhor um carrinho sem vergonha do que nada”. Melhor você realizado do que qualquer outra coisa.

Fazer mais por você é não aceitar a situação e a vida das outras pessoas como ponto de partida para suas conquistas. Não é porque fulano está fazendo algo que você também tem que fazer, não é porque o amigo tem carro, casa, bom emprego, um relacionamento, está viajando que você precisa disso tudo agora, não é porque o seu horóscopo está dizendo que você irá mudar de emprego, mas não vai conquistar o amor que você precisa aceitar isso como verdade. A vida de cada um é única, cada um tem seu felling e entender isso é fazer mais por você.

Sua vida pessoal é pessoal. Não precisa ostentar por aí um copo de cerveja porque os amigos estão fazendo isso, não precisa fingir que gosta de beber só para fazer parte do grupo. Não precisa postar fotos de todos os lugares legais que você foi só para mostrar para o mundo que você está vivendo, está se divertindo, que a festa de ontem foi ótima e que hoje você está com uma baita ressaca porque bebeu todas na noite passada. O melhor da vida acontece fora das redes sociais, a bebida mais gostosa é aquela que a gente bebe feliz, nem a melhor selfie capta a beleza de uma pessoa que está se sentindo bem consigo mesma, um like é só um like e, eu juro, não significa nada. Ninguém estraga aquilo que não sabe, então preservar sua vida pessoal pode ser uma boa.

ordinary-young-man-13

Fazer mais por você é fazer por você o que as pessoas julgam desnecessário, tudo bem fazer terapia se você sente que está precisando, mesmo o amigo falando que não pagaria para falar dos próprios problemas para um estranho. Entenda que não é um estranho, é um profissional que te ajudará a entender melhor seus problemas e a traçar caminhos para resolvê-los, não é preciso estar em estado de depressão profunda para procurar ajuda, se algo te incomoda trate de resolver o quanto antes. Cuidar da sua saúde mental não é feio, não é vergonhoso. Se sentir triste às vezes não é pecado, nós somos feitos de sentimentos, de hormônios e de eventos que mudam nosso estado de espírito durante o dia, tudo bem não segurar a barra sempre, tudo bem não ter sentimentos positivos sempre. Só não deixe o seu às vezes se tornar constante.

Fazer mais por você é entender que sua saúde mental e física é primordial. Procure uma atividade que te faça se sentir bem, pode ser correr na rua, pode ser academia, pode ser a luta, pode ser a dança, pode ser qualquer coisa que te coloque em movimento. Exercício libera endorfina, endorfina te deixa mais feliz, você feliz é você mais disposto para fazer o que gosta, para resolver problemas, para lidar com situações, ou seja, você mais feliz ainda. Eu sei que ninguém tem tempo para praticar um esporte ou seja lá o que for, mas sempre se lembre de quem quer faz, que não quer arruma uma desculpa. Você não será jovem para sempre, comece a cuidar da sua saúde desde já, aquela fast food é um delicia, eu sei, mas não precisa comer toda semana, o refri é ótimo, mas ele não precisa acompanhar todas as refeições, álcool é muito bom em certos momentos mas, beber todo dia é um problema. Mente sã, corpo são.

ordinary-young-man-08

Tudo o que nos força a sair da nossa zona de conforto é difícil, mas é só se lembrar da primeira vez que você aprendeu a multiplicar na aula de matemática. Foi difícil, você achou que nunca iria aprender aquilo.O tempo passou, as séries passaram, aí no ensino médio você aprendeu trigonometria e tudo o que veio antes parecia fácil de mais. Sair da zona de conforto é isso, é a nossa aula de matemática da quarta série, tudo parece muito difícil, muito complicado, mas a gente aprende e passa para próxima.

Fazer mais por você é tentar fazer algo, é dar o primeiro passo e tudo bem se for só o primeiro, quer dizer que você já está no caminho.

Bom ano pra gente!

Fotos do post

Run Bia, run

Corri, corri como se não houvesse amanhã.

Há quase um ano atrás eu decidi entrar na academia, fui lá, fiz minha matricula, coloquei meu short de ginástica e comecei a fazer exercícios. Eu só quero dizer, antes de mais nada, que tenho pena da amiga que me acompanhou no começo da minha “vida saudável”, porque ó, eu só reclamava. Me recusava a fazer alguns exercícios, ia pra esteira e, dos 20 minutos que a gente corria eu reclamava 30, não conseguia correr direito, não tinha folego pra nada, mas eu continuei, firme e forte.

Foi passando as semanas e eu fui me adaptando, mas mesmo assim ainda tinha vergonha de fazer alguns exercícios, porque atá que eu vou ficar de bunda pra cima nesse aparelho. Mas, depois conclui que:

1- ninguém liga pro treino que você está fazendo;
2- ninguém nem percebe sua presença;
3- todos estão ali pelo mesmo objetivo;
4- depois de uns meses, mesmo que você não tenha feito amizade com ninguém, meio que todos do seu horário já se conhecem, então fica um pouco menos pior de treinar;
5- homens não gostam de treinar perna, então a parte de musculação sempre estará cheia, então amiga, se você quiser treinar seus bracinhos vai ter que dar umas olhadas feias pros amiguinhos braçudos de pernas finas;
6- depois de um tempo, das duas horas de treino, meia hora será de conversa;
7- moços bonitos haha.

Minha parte favorita do treino era a esteira, eu gostava de correr, mesmo não conseguindo correr por muito tempo. Em alguns meses eu fui de uma pessoa sedentária, que tomava orgulhosamente um litro de refrigerante a cada sessão de cinema, para uma pessoa “vou querer suco dessa vez” e hoje eu corro tranquilamente para pegar  ônibus, simplesmente porque hoje eu consigo correr sem colocar meus dois pulmões para fora.

Ha um mês atrás participei da minha primeira corrida, na verdade me inscrevi na modalidade caminhada 5k, mas corri parte do percurso. Me senti orgulhosa, fiquei feliz e nada no mundo descreve a sensação de superar seus limites. Porque gente, meu sedentarismo não tinha limites haha.

image
A amiga que ouviu minhas reclamações

E só de pensar no motivo pelo qual eu comecei a frequentar a academia, hoje eu dou risada. Acho que foi um dos melhores negócios que já fiz. E, agora virando a chata fitness: exercício faz bem pro corpo, pra alma, pra autoestima, te rende uns amigos, te faz entender quais são seus limites e te faz querer ir além sempre.

Não julguem nem briguem com o pessoal de academia, a gente é legal :)

Hortinha

É oficial, agora temos uma horta aqui em casa! Tá no começo ainda, não temos tanta coisa plantada mas, o espaço já está arrumadinho, os canteiros estão prontos e nossas verduras já estão crescendo bonitas.

Ok, aqui temos espaço para ter uma horta, mas e quem mora em apartamento ou casa onde não tem um pedacinho de terra para plantio? Não tem problema, nem desculpa pois algum gênio inventou as hortas verticais. E não é só isso, basta alguns vasos, terra, mudinhas, sol e amor que você já pode dar inicio à uma bela horta de quintal.

Antes de mais nada, pense no que você quer cultivar e o quanto de espaço você tem disponível para isso. Em apartamentos, como há quase sempre pouco espaço, uma horta de temperos é interessante, pois as mesmas podem ser plantadas em vasos.

Então, você irá precisar de vasos, terra adubada, argila expandida e mudas. Pode ser semente também mas, por experiência própria, as mudas são mais práticas.

follow-the-colours-plantando-em-vaso-infografico

Agora falta saber o que plantar. Já que estamos falando de temperos, tenha em mente o que você mais vai consumir e quanto tempo você tem disponível para cuidar das plantinhas.

Montei esse infográfico mostrando os temperos mais comuns e suas particularidades para o plantio.

Fictional literature is made from the imagination. (1)

Já sabe o que plantar e onde vai ficar seus temperinhos? Agora os valores. Aqui onde moro, nós pagamos cerca de 15 centavos cada muda de tempero e verdura (salsinha, coentro, tomate, alface, agrião, couve) e cerca de 2 reais as mudas maiores como hortelã e alecrim.

Cada vaso custa de 1 à 10 reais, dependendo do tamanho. Um saquinho de terra adubada com mais ou menos 1kg custa cerca de 10 reais. Todos os valores são aproximados, com base nas floriculturas e viveiros da região onde moro. Mas, já da pra ter uma noção de quanto custa iniciar sua horta.

Agora, fique atento em algumas dicas de como manter sua horta sempre saudável. Mesmo sendo cultivada em vasos, sua planta pode desandar se não tiver atenção necessária.

  • Atenção ao tamanho do vaso, há plantas que necessitam de espaço para crescer. Por exemplo, uma planta de 80 cm de altura precisa de um vaso de 30 cm de profundidade por 20 cm de diâmetro. Espaços pequenos podem atrofiar suas raízes.
  • Atenção ao sol, plantas de sombra podem apresentar folhas amareladas ou secas se expostas por muito tempo a luminosidade.
  • Folhas murchas é indicio de pouca água, e para não encharcar sua planta use um sistema de drenagem como vasos com furo embaixo e argila expandida.
  • Ague sua plantas lá pelo inicio da manhã ou final da tarde.

E, por fim, algumas inspirações para deixar sua hortinha mais bonita

1 2 3

Tem mais inspirações de hortas e jardim neste painel do Pinterest, que será sempre atualizado e mais informações sobre o assuntos na Casa Vogue, Itatiaia, Viva mais verde e Globo Rural.

Inspiration #1

Summer breaks

x Listras in love com essa tendência, dá pra fazer combinações tanto para o verão quanto para o inverno, o que é ótimo, menos dinheirinho gasto com roupas must have da estação haha não que eu seja a louca das tendências mas ¯¯\_(ツ)_/¯¯

x Mini saia sempre tive um pezinho atrás com essa peça, mas encontrei umas combinações bem bonitas e quase todas com camisetas, o que parece ser bem confortável.

x T-shirt dress beijo na boca da pessoa que falou que pode sim usar vestido larguinho, tipo camiseta e que tá na moda sim e é isso aí, só quem usa sabe o quanto é confortável e prático essa peça.

x Botões me apaixonei por essa saia jeans longa com botões e já estava chorando por nunca achar uma, até encontrar esse vestido da Amaro que tem os mesmos botões bonitos. Agora tô chorando torcendo pra ter em estoque ainda quando eu decidir comprar haha.

 x Camurça ainda não achei uma saia de camurça que seja realmente bonita, mas se eu encontrar já sei como usar haha. Aliás, saia e camiseta é a melhor combinação ever <3

Mais inspirações no Pinterest

tbt: Na casa da vó

tbt

Semana passada fui visitar meus avós, fazia alguns meses que eu não os via (talvez no último feriado), e fazia mais tempo ainda que não ia na casa deles num dia comum.

Como era fim de tarde, cheguei com fome e claro, já sentei na mesa do café e enchi minha xícara de chá (na casa da vó não temos o costume de tomar café) e peguei uma fatia daquele pão caseiro que eu não comia fazia anos (nunca dou sorte).

Terminei de comer e minha vó, como uma boa vó, me ofereceu outro pedaço.

– Pega mais Bia.
– Não quero não vó, já comi.
– Ué, não é porque você já comeu que não pode comer de novo, pegue outro pedaço.
Obedeci, é claro haha

Me lembrei de todas as vezes que fui na casa dos meus avós quando criança, de todos os pães caseiros que comi, do pão francês recheado com açúcar, do imbatível doce de leite de forma que até hoje não achei igual, do macarrão e da sopa no almoço e na janta, da lata cheia de suspiros, do leite tirado na hora, do chá mate docinho, do porco assado que comemos em todas as datas comemorativas, seja Natal ou dia dos pais. Me lembrei de todos os costumes gastronômicos que temos.

Queria uma foto para ilustrar esse post, mas, quando éramos crianças não estávamos nem aí para fotos, eu e meus primos queríamos mesmo era rolar na grama e cair no laguinho, explodir ovo choco, brincar de esconde-esconde e pega-pega, alimentar as galinhas, rabiscar as folhas do caderninho da vó, ficar conversando com o Louro, um papagaio mais velho que eu.

Os tempos eram bons e nós sabíamos disso, ainda sabemos disso e essa é a lembrança de quinta-feira mais maravilhosa que tenho.